Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

29
Nov09

... Rondónia que... se futura???... Quiçá!!!...

sherpas

… marcando passos, sobre passos já dados… muito antes de agora, vai para uns anitos bons!!!...

... encontro-me numa cidade raiana com um presidente autarca bem dinâmico e diligente… entregou-se de alma e coração à recuperação, à reforma, à reconstrução de tudo quanto estava velho e gasto, votado ao abandono, revirou todas as infra-estruturas básicas relacionadas com saneamento, alindou a cidade, dotou-a de exemplares complexos desportivos e de lazer, parque subterrâneo de estacionamento… alargou o seu empenhamento pessoal, da equipa que chefia, a toda e qualquer freguesia, sei lá, uma formiguinha atarefada desde que foi para o lugar de edil desta povoação, “a nossa cidade”, como cantava e canta… penso, o Paco Bandeira!!!...

 

... o centro histórico não foi abandonado, como todos constatam… quando o visitam!!!... Tem feito um bom trabalho!!!... Quanto a gestão de fundos, equilibrou as contas, auferiu fundos europeus que aplicou, paga salários a muita gente, saudáveis ou não… não sei, nem desconfio, o sucessor logo verá na altura própria, longe de mim tal pensamento!!!...

 

... tem um senão, falo por mim, falo por tantos… obra de vulto, que se veja, fica marcada com o seu nome, atitude dele já escrita e debatida em conversas de café, em certos diários, honra de crónica do articulista Pulido Valente, sob o título de “Rondónia”!!!... Enfim!!!...

 

… é uma cidade que fica a poucos quilómetros de Badajoz, conhecida de mim, de todos que por aqui habitam… tal como esta, por dentro, por fora, em caminhadas a pé, de automóvel, ao sol, à chuva, em compras passadas com a peseta a quatro tostões, em matinés que frequento nos seus centros de ócio… presentemente, passeios e recordações que faço, quando me disponho, marcando meus passos, sobre passos dados!!!...

 

... são duas cidades que se não podem comparar, logo à primeira vista… quanto a desenvolvimento, quanto a assistência social, nos mais variados campos, na saúde, no ensino, na segurança, quanto a dimensão… uma cidade grande à vista duma cidade pequena, mais airosa, bem formosa, por obra e graça do “nosso” Presidente, é evidente!!!...

 

… a parte moderna de Badajoz está um encanto, urbanidade que se alarga numa planura continuada, avenidas largas, bem projectadas, jardins aos montões, espaços abertos convidativos… Universidade completa, bons hospitais públicos e privados, maternidades, um regalo para quem lá vive, concordo!!!...

 

... a Badajoz dos meus tempos passados, o casco velho, o centro histórico… que recordo, como era, vai para trinta e tantos anos, ruas estreitinhas, comércio activo, chusma de portugueses em busca dos caramelos, doutros regalos, ali para cima, para a praça de Espanha, onde se encontra a catedral, a conhecidíssima calle de S. Juan, frequentadíssima em tempos idos, com esplanadas de invejar, com tabernas a condizer, com as tão cantadas tapas e cañas, com o seu jamon de pata negra, mais pequena, mais antiga… está em decadência, numa reestruturação lenta, quase degradada, mais ainda quando nos aproximamos da Alcazaba ou do castelo, vestígios dele, como pretendam!!!...

 

… ainda lembro aquela espécie de “mercadillo” numa rua íngreme e apertada, na parte mais velha da cidade… onde tudo se vendia, uma algaraviada, como se estivéssemos no norte de África, em Tânger ou Marrocos, deles descendemos, bastantes, também… esta mescla que  rejeita quando se pretende ser alvo na raça, quase intacta, ariana como a besta passada queria que acontecesse, escondendo o que fomos, aquilo que somos, que continuamos sendo, de facto… queiramos ou não!!!...

 

... vestiam mal, na altura… ainda não tinham a Zara e outras mais!!!... Passei perto dum mercado de bairro, agora degradado, quase em ruínas, portas cerradas, sem vida aparente… um monstro enorme ali colocado à espera de tempos melhores, onde ia comprar carnes e frutas, mais baratas do que em Portugal!!!... Dei voltas e vi muitas casas em vias de serem substituídas por outras mais actuais… com muito contratempo pelo meio, estenderam a cidade nova, fizeram belezuras com fartura, esqueceram a raiz, descuraram o centro histórico, viraram-lhe costas, simplesmente!!!...

 

… mais adiante, numa de turismo pedonal, passei perto da antiga praça de toiros de Badajoz, tristemente célebre pelo fuzilamento dos Republicanos, aquando da guerra civil espanhola, tempos de Franco, o ditadorzeco de então!!!... Estava lá o sítio, da dita… nem rasto, em seu lugar construíram museu de linhas avançadas, moderníssimas, estava fechado, não o visitei!!!... Falando com um espanhol que por ali passava fui informado que… as memórias da praça de toiros, a antiga, tinham ficado registadas em fotografias e trabalhos escritos, arquivos que podiam ser consultados a qualquer momento!!!...

 

... ainda virei os meus pés sobre o caminho já percorrido, voltei à calle de S. Juan… para relembrar o que era, para visionar como estava, para chorar o seu estado decadente, abandonado!!!... A Badajoz dos meus tempos idos, comparativamente com a “nossa” cidade pequenina, a do Paco Bandeira… está uma bandalheira!!!... Pobretes mas limpinhos e com as coisas nos lugares devidos, com menos dinheiro, com menos serviços, hospital deficiente, maternidade fechada, fuga da juventude para os grandes centros, sem mordomias como a Universidade do outro lado da raia que acolhe muitos dos nossos estudantes com vontade de prosseguirem os estudos em Medicina mas… enfim, valha-nos o que temos, cidade a preceito, organizada, cuidada com jeito!!!...

 

… duas maneiras distintas de aplicação de capitais em cidades que se confrontam, bem perto uma da outra, interiorizadas as duas, alentejana e extremenha!!!... Numa vive-se a vida, olha-se a sociedade, pensa-se nela, criam-se postos de trabalho, activam-se empresas, abrem-se novas, fomentam-se actividades comerciais, cada vez mais, inauguram-se centros desportivos e de recreio, proporciona-se futuro em universidade própria, cuidam-se os doentes, recebem-se os vivos em instalações apropriadas e variadas, hospitais e maternidades, albergam-se os velhos, prendem-se os jovens às origens, combate-se a interioridade, dão-se novos horizontes no campo da habitação, quando se alarga e estala em todas as direcções… numa velocidade tal que, se descurou o casco antigo!!!...

 

… por tabela e graças aos bons ofícios do Presidente da Câmara  de Elvas, por cá… também se faz no que concerne ao embelezamento da cidade, à recuperação de tudo que estava velho, um brinquinho, não se descuidou a zona velha do burgo, antes pelo contrário, atende-se aos velhos e aos jovens com actividades apropriadas, inauguraram-se e inauguram-se, a todo o momento, obras de vulto, de interesse local… complexos desportivos, culturais, obras em chusma!!!...

 

... no entanto todos constatam que vamos perdendo o melhor, a juventude que nos deixa por falta de condições… não podem continuar estudos, não têm emprego, quando doentes recorrem a hospitais de outras cidades, de Badajoz, inclusive e, da Maternidade… já não falo, de tão comentado na altura!!!...

 

... actividades relacionadas com produtos da região, com o comércio, com o turismo… de tão reduzidas, quase me envergonho abordar!!!... Diferença abissal entre estas cidades de interior, uma alentejana… outra extremenha!!!... Interioridade e desertificação nesta banda… interioridade e vida quase normal na Badajoz moderna, com o casco velho arruinado, posto de lado!!!... COISAS!!!... Sherpas!!!...

 

... enfim... o TEMPO o dirá!!!...

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Os meus links

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D