Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

18
Jan09

... América, América... do Brederode Santos!!!...

sherpas

Não sei se o remorso curva a espinha e ensombra o gesto. Nem sei o que pesou mais nos últimos dias de George W. Bush.

... a América que precisa do MUNDO... como ninguém!!!...

 

... in http://www.fotosearch.com.br/OMU118/01p0010/

 

Se a memória de como planeou vingar-se do pai, parecendo querer vingar o pai; se o intuito de refazer a apagada e vil imagem que a primeira metade da vida lhe traçou; se a pulsão da epopeia, às vozes e tambores dos evangélicos; se o ter-se deslumbrado com a simples e prática cupidez de Dick Cheeney.

 ... o Dick Cheney enraivecido, com apaniguado... ao lado!!!...

 

... in http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/northamerica/usa/3485581/Dick-Cheney-charged-over-abuse-in-private-prisons.html

 

Estes são os condimentos principais que, num filme subestimado mas interessante, Oliver Stone nos propõe para doseamento su misura. Eu não tento o meu. E não excluo uma abordagem mais singela: o que verga Bush são as sondagens de aceitação popular, nesse momento sem remédio que é a passagem aos arquivos da história americana.

 ... uma "inocência" de pessoa... louca ou diminuida!!!... In http://www.telegraph.co.uk/news/picturegalleries/worldnews/4223984/My-Way-by-George-W-Bush.html

Na partida, ele faz dois grandes protestos de inocência. A ter errado - diz - pelo menos agiu em consciência. E, graças a ele e à sua insónia de sete anos, nunca mais, desde o 11 de Setembro, a América voltou a ser agredida no seu próprio território. Fracos consolos.

... de comboio... pr´á Casa Branca!!!...

 

... in http://galeriacores.blogspot.com/2009/01/obama-viaja-de-comboio-at-washington.html

 

O primeiro, porque busca salvação impossível, já que filia os erros, não numa actuação que dê margem para a repartição das culpas, mas nesse pessoalíssimo e irrenunciável éter a que chamamos consciência. Não sei o que é uma consciência errada, mas deve ser a pior companhia para a reforma. O segundo, porque dificilmente comove multidões. Tanto quanto me lembro, na sua mais do que bicentenária história, a única agressão em casa foi Pearl Harbour. Antes disso, só uma romanesca invasão pelos mexicanos de Pancho Villa, a quem Carlos Fuentes definiu o estatuto: uma rapsódia de camponeses, guerrilheiros e patriotas, agindo de acordo com regras que não podiam ser diferentes das de uma longa tradição de banditismo. Por isso, os seus sete anos e meio rasgam no mundo um sorriso amargo: é que é um critério pelo qual ele mesmo se coloca em último lugar no grande panteão dos presidentes.

 ... o MUNDO... não precisa... In http://www.guiageo-mapas.com/imagens-terra.htm

E, se dúvidas houvesse sobre a imagem com que sai, as cadeiras vazias de alguns convidados, que lhe incensaram a pior das aventuras, falam por si. São homens que não ouvem vozes interiores, mas só os megafones da luta política. Homens que entendem que a moral só emerge nas derrotas e só costuma dar futuro aos outros. Homens como Aznar, Berlusconi e Barroso. Por isso, a sua ausência é um auto de notícia. George W. Bush sai agora para a solidão de um rancho texano. Quando o ouvirem a falar sozinho, estará provavelmente a persuadir o seu cavalo de que o Iraque e o Afeganistão são democracias pujantes e os seus povos amam os EUA. Por prisioneiro que, muito justamente, o seu sucessor seja, na gaiola dos interesses de quem o elegeu e ele representa, o mais difícil do muito que o espera é um estilo e uma atitude que dêem ao mundo razões para esquecer aquele que sai.

 ... disto!!!...

No entretanto, escreve Paul Krugman, no NYT de sexta-feira, 16, que, perguntado sobre se possíveis crimes, cometidos pelo Governo de Bush, seriam investigados, Barack Obama respondeu que ninguém está acima da lei, mas que é preciso olhar em frente, e não continuar a olhar para trás. Krugman comenta que esta resposta significa que os detentores do poder estão, de facto, acima da lei, porque não sofrem consequências quando abusam dele.

... nova oportunidade... se dá!!!...

 

E condena: "Para proteger e defender a Constituição, não basta a um Presidente obedecer-lhe, ele tem de responsabilizar os que a violam. Por isso, o Sr. Obama deve reconsiderar a sua aparente decisão de deixar impunes os prevaricadores da anterior administração. Porque, independentemente das consequências, essa é uma decisão que ele não tem o direito de tomar."

 ... Paul Krugman... prémio Nobel da Economia de 2008!!!...  In http://nobelprize.org/nobel_prizes/economics/laureates/2008/

Este filme é conhecido. Está na vida, muito mais perto de nós do que qualquer cinema. Interessante - e desafiador - é que ele germine aos nossos olhos, no excelente relacionamento político de dois homens que a esquerda europeia acarinhou no mesmo abraço. Obama, o primeiro Presidente negro, fez a maioria de todas as minorias e acendeu o céu americano, dando asas a todos os sonhos. A sua aventura de vida começou agora, com o dealbar de quatro - talvez oito - anos de luta entre a vontade e a contingência. Aquilo de que menos precisa é que, em nome de puros princípios e sem olhar a consequências, lhe comecem a laminar os grandes consensos que forjou para enfrentar todas as crises que Bush lhe deixa no regaço. Krugman, o intelectual e economista que escancarou o Nobel ao jornalismo, tem por aventura pessoal a pureza das causas, a coerência dos valores e um apego, sem máculas nem tardanças, a tudo aquilo que lhe trouxe a glória de hoje. E cada qual defenderá a imagem que visiona de si mesmo. Crêem na mesma divisa: prosseguir um grande desígnio com a flexibilidade necessária e que o não comprometa. Cada qual traçará a sua e subjectivíssima fronteira entre o terreno onde se pode ceder, em nome do bem maior, e aquele em que a lesão de um princípio é o mal absoluto, sendo ocioso estar a medir-lhe as consequências. Há em ambos responsabilidade e vaidade. Mas não somos todos somos assim? |

 

... in http://dn.sapo.pt/2009/01/18/opiniao/america_america.html

 

... tal e qual!!!... Sherpas!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Os meus links

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D