Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

10
Jul08

... soldados!!!...

sherpas

... ar gingão, posição estudada, meio virado com bivaque na cabeça, mãos displicentes nas algibeiras, botas com polainas, calças cinzentas ajustadas, mangas da camisa arregaçadas, complemento da farda de Verão dum cabo que era miliciano, divisas encarnadas, dois V,s com um v mais pequenino, invertido, num terreno que era local de trabalho, chão batido rodeado de restos dum passado distante, alguns muros que resistiam ainda, defesas da cidade fronteiriça em que me encontrava, alguns artefactos apropriados para as tarefas que ali se produziam,esqueletos bem altos de cimento, cordas penduradas, troncos espetados, intervalados, buracos e lamas, aplicação militar, alguma instrução, lutas com defesas e ataques, vozes bem altas de comando, hierarquia que se cumpria, recruta de novos soldados, aprendizagem rudimentar de marchas e passos, continências e respeitos, silêncios de estátua, habilidades com armas sob comando, esfanicar das mesmas, limpeza a preceito, formatura em fila, saltos e arrastos, progressão na diversão, passados que estão!!!...

... por princípo, não gosto de ficar plasmado em fotografias... o tempo passa, vai marcando corpo e rosto todos os dias, vai-nos esculpindo conforme entende, como pessoa física, como gente que se gasta, agasta todos os dias, somos pouca coisa, aceito enquanto nos vamos moldando a ele, mais crescidos, mais idosos, velhinhos desvalidos, encarquilhados com rugas, carecas ou brancos de neve, quase acabados, estória que fica, memória que esquece, rasto que se apaga!!!...


... para quê manter figura que fomos em tempos recuados???... Quanta tristeza se abate, não me consola quando, por acaso... dou com alguma foto em que caí, recordações que me assaltam, lágrimas que não contenho, interiores, porque não manifesto aos outros, ainda do tempo em que diziam aos mais pequenos “que um homem não chora” assim como assim!!!... Fico calado junto do que me emociona, penso bastante, condoído de verdade, assaltam-me imagens que trazia guardadas, passo dias e dias pensando no que me atormentou até que me dá para isto que dá, agarro esta coisa que tenho sempre à mão, o PC... escrevo que nem um doido, cavalo desembestado, corrida tresloucada, tudo duma assentada, antes que perca o que veio à superfície!!!...


... revejo o dia, recordo o momento, oiço vozes de então, sorrio perante faces que se esboroam, sorrisos matreiros, convencimento de desenrascados em altura de tropa “fandanga”, feituras apressadas de guerreiros em barda, necessidade de carne para canhão em terras africanas, na Angola “k´era nossa” quando nos massacravam e instigavam contra os “terroristas” que por lá matavam os nossos “heróis”, no vasto Império Ultramarino dos tempos de Salazar, de Marcelo também, Guiné e Moçambique que se sublevaram, teatros de guerra naquilo que íamos perdendo, que nunca foi nosso, que continua não sendo, Países de facto, libertadores dos colonialistas de então, apaziguadores agora, Lusofonia que se pretende, recordações que ainda surgem, vezes por outras, fotografia que s´olha, anos que passam, tempo que não pára!!!... Tinha sido “formado” em Mafra... agora “formava” naquele quartel sob ordens dum aspirante, dando ordens a cabos, a soldados, “formando” com presteza, nova fornada que, passadas algumas semanas, mesitos apenas, lá iam engrossar número de mortos, de estropiados também em terras de nenhures, conflitos sem proveito, lutando contra quem lutava contra nós, irmãos contra irmãos, vocação africana que tinhamos, que temos, mantemos!!!...


... numa tarde solarenga, por ali... com a maquineta sempre na mão, o cabo Felgueiras fazia pela vida porque a “jorna” não era nenhuma, menor do que a minha que quase nunca recebia na altura do recebimento do pré, pelas dívidas que tinha de saldar, mãos a abanar, cheiinhas de nada!!!... Ronço, virado para a oportunidade, pura verdade... lá me convenceu, colocou-me de feição, disparou, mandou revelar a fotógrafo da cidade, amigo e cliente, ganhos acrescidos, algum que lhe caía no bolso, vida desafogada, “rato” de primeiríssima que nunca mais vi, recordo agora, pela foto d´ocasião!!!...


... já lá vão quarenta e tais anitos... meu Deus!!!... Como passa este lapso tão curto que apelidamos de vida, desempenhando o meu papel, consciência tranquila e em PAZ com todos, sem impedimentos, vidinha limpa, inteira, perfeita... olhando para trás, no presente que já não é, no futuro que auguro para os vindouros, MUNDO melhor, apreciando cada pedacinho que retenho em imagens, não gostando de ficar, satisfeito comigo, tal como sou, não me iludindo, não fingindo, espargindo o que tenho, experiências que acumulo, satisfazendo um gosto, escrevendo o que sinto!!!...


... no domingo passado, passei... por acaso, no Terreiro do Paço em Lisboa, deparei com uma campanha de convencimento do exército direccionada para os mais jovens, incentivo à aventura, captação d´alguns, alistamento voluntário, amostragem d´algumas “carripanas” de transporte e combate, experimentação do “rapel” logo após pequena escalada, segura e orientada por forças especiais, fuzileiros ou comandos fardados a rigor, aspecto saudável, juventude aos borbotões, contacto directo com pistolas e metralhetas de guerra, sem munição, manuseamento como entretenimento, balcão preparado para inscrição, barraquinhas apropriadas vocacionadas para qualquer tipo de explicação, profissão de futuro para raparigas, para rapazes!!!... Sem ou com divisas, alguns galões, espaço dedicado às habilidades de cães como coadjuvantes e auxiliares dos soldados aquando do resgate de vítimas em terrenos de carnificina, hecatombe, feridas provocadas por outras armas mais possantes, como as “inteligentes” que matam aos montes, indiscriminadamente, com perfeição, desfazendo qualquer vestígio de casas, cidades, gentes, modernas e eficazes, mais capazes!!!...


... bem diferente dos meus tempos de tropa “fandanga” à força... por tempo indeterminado, mais que forçado, agora voluntariado!!!... Comparando... descreio, quase me arrepio, não me pronuncio, partidário da PAZ e do CONSENSO alargado num MUNDO mais auspicioso que, pelos vistos, só se consegue à base do morticínio, da pressão, da imposição, da força bruta, da matança concertada... em último recurso, dizem!!!... Não foi por esta amostragem com que deparei no Terreiro do Paço que me resolvi escrever isto... foi por um encontro acidental com uma fotografia de há quarenta e tal anitos, dos meus tempos de menino e moço, carne para canhão enfiada numa embalagem que nunca me assentou bem, como encadernação, confesso!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

 

... à portuguesa!!!...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Os meus links

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D