Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

... coisas do Sherpas!!!...

... comentários sobre tudo, sobre nada... imagens diversas, o que aprecio, críticas e aplausos, entre outras coisas mais!!!...

27
Jul07

... kremlin/Putin!!!...

sherpas

 

 

Russian President Vladimir Putin speaks at a ceremony of presenting credentials for foreign ambassadors in the Kremlin in Moscow, July 27, 2007. REUTERS/Maxim Marmur/Pool

... tempo do Czar... Moderno, quiçá???... Sherpas!!!...

... Nicolau II... último Czar da Rússia!!!...

 

27
Jul07

... o Pablo!!!...

sherpas

Pablo Picasso foi um renovador das artes plásticas, no século XX e um gênio criativo por toda a vida.

     

 

    Pablo Ruiz y Picasso, nasceu em Málaga, Espanha, em 25 de outubro de 1881. Desde cedo foi muito influenciado pelo pai, José Ruiz Blasco (1838-1913), que era professor de desenho e pintura. Tinha treze anos quando fez sua primeira exposição e aos quinze anos  quando entrou na Escola de Belas Artes de Barcelona.

    Em 1904, mudou-se para Paris. Nesse período, a cidade de Paris era a mais importante para a arte moderna. Foi na França que viveu a maior parte de sua vida.

... foi pioneiro duma arte, processo revolucionário do cubismo... evoluiu, tornou-se quase indecifrável!!!... Criador genial!!!... Sherpas!!!...

 

27
Jul07

... circos e palhaçadas desprestigiam a... democracia!!!...

sherpas

 

 

RECORDAÇÕES DA ILHA DO SENHOR GOVERNO



Fernanda Câncio
jornalista
fernanda.m.cancio@dn.pt
   
Em 1992, sob o pretexto das eleições regionais que iam ter lugar e das imputações de "défice democrático"vocalizadas pelo então secretário-geral do PS António Guterres, fui enviada à Madeira pela revista Grande Reportagem. Um pouco desinteressada das tricas partidárias, achava pilhas de graça ao senhor do arquipélago, à sua linguagem desbragada e às suas cantorias desafinadas. No país do monolítico primeiro-ministro Cavaco, Alberto João surgia como comic relief , espécie de caricatura do político sem vergonha, que nem se esforça por aparentar seriedade e compostura.

Mal cheguei, assisti a um comício do PPD-Madeira no Funchal. No palco, um Alberto João imparável acicatava os fiéis "contra os jornalistas do contenente, servos dos grandes interesses económicos que vêm para aqui tentar destruir a Madeira". Isto enquanto os tais inimigos da Madeira, como eu, estavam ali mesmo, no meio do povo. Um ou dois dias depois, o Público trazia, numa notícia assinada pela sua enviada Áurea Sampaio, o relato de uma cena a que não assisti , em que durante outro comício Jardim mandara um homem levar num certo sítio. Jardim negou a cena e desferiu mais uns elegantíssimos ataques ao Público e ao seu então director, o também madeirense Vicente Jorge Silva. Nessa tarde, entrevistei Jaime Ramos, o braço-direito de Jardim. Entre outras enormidades, certificou-me que se a Áurea aparecesse na sede do PPD na noite das eleições "levava um murro nos cornos". A conversa, reproduzida no artigo que escrevi e não contraditada (fora gravada) levou a que os jornalistas do contenente decidissem, em acção de protesto e solidariedade (apenas furada por Rodrigues dos Santos, da RTP), não ir à sede do PPD na noite eleitoral e fossem, no regresso a Lisboa, recebidos por parlamentares e pelo então PR, Mário Soares.

Este episódio, porém, foi apenas a caricatura maior de um ambiente geral de intimidação, desbragamento e surrealismo que me fez descrer de estar no país que creio ser o meu. Gente com pavor de falar - houve quem dissesse que não podia ser visto em público comigo - e que alegava perseguições e pressões várias; uma oposição inexistente (na noite das eleições, assisti, sem crer no que via, ao televisionado chorrilho de insultos que Alberto João desferiu sobre o adversário derrotado, o líder do PS local), à excepção dos rigíssimos padres políticos (uma curiosidade madeirense); populares que me respondiam, numa candura com sabor a sépia, "eu voto no senhor governo". Ainda rio das palhaçadas de Jardim, mas deixei de lhe achar qualquer graça. Ele ganha eleições, claro. Todas, e com maiorias absolutas. Mas, segundo ouvi dizer, e dito por gente que o elogia e com ele faz pactos, isso não só não faz dele um democrata como, parece, é péssimo para a democracia. A não ser que tenha dias. Ou geografias.|

... com a devida vénia!!!... 

 

... sempre pensei que baixarias e bujardonas... não são salvação para ninguém!!!... Há quem pense que não!!!... Sherpas!!!...

27
Jul07

... as direitas é que... o fizeram, continuam fazendo!!!...

sherpas

 

Lisboa, 27 Jul (Lusa) - O Partido Socialista e o primeiro-ministro recuperaram este mês nas intenções de votos dos portugueses e o Bloco de Esquerda e o seu líder destacam-se pela positiva, segundo o Barómetro DN/TSF, hoje divulgado.

O partido do Governo subiu em Julho quatro pontos nas intenções de voto, para os 44 por cento, e o primeiro-ministro, José Sócrates, também recupera quatro pontos, embora se mantenha na negativa, relativamente ao mês anterior, em que ambos tinham registado uma grande quebra.

O PSD mantém o mesmo resultado do mês anterior, nos 29 por cento das intenções de voto.

O Bloco de Esquerda subiu para o terceiro lugar deste «ranking», com 09 por cento.

O PCP/Verdes registou a maior queda, de dois pontos, ficando nos 08 por cento, seguido do CDS-PP, que desceu apenas um ponto percentual, para os 06 por cento.

Francisco Louçã é o líder mais popular neste barómetro, sendo o único entre os chefes partidários que tem nota positiva.

A sondagem da Marktest para a TSF e Diário de Notícias foi realizada entre os dias 17 e 20 de Julho, com 814 entrevistas por telefone fixo, com o objectivo de saber em quem votariam se as eleições legislativas fossem hoje.

ARR

Lusa/Fim

... as oposições são... autênticos flops, assim o constato!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

26
Jul07

... dá para rir... chorando!!!...

sherpas

Não chateiem o dr. Jardim!



Sérgio de Andrade, Jornalista

No antigo regime, havia notícias que circulavam apenas em duas publicações o então "Diário do Governo" e o "Diário das Sessões" da então Assembleia Nacional. Só esses não iam à Censura e a sua leitura, portanto, dava-nos informações, de fonte fidedigna, impossíveis de conseguir em qualquer outro lugar. Numa altura em que se gritava que Portugal era um só, do Minho a Timor, deu-me particular gozo ler um dia, no "Diário do Governo", um decreto que, lembrando ser a greve proibida em Portugal, a permitia no "portuguesíssimo" território de Macau. Para que conste, aí quem mandava era Pequim - e, embora Pequim não fosse exactamente liberal em matéria de direitos, o da greve incluído, mesmo assim impunha-o em Macau, creio que apenas para humilhar as autoridades portuguesas.

Recordo isto porque, agora que Portugal continua a ser um só, mas mais modestamente do Minho ao Corvo, me parece que está a repetir-se o episódio macaense. Na verdade, haverá partes do território nacional que não dependerão de Lisboa, na medida em que certas coisas impostas a todo o país não se aplicam, na prática, a uma das suas parcelas. Na Madeira, Sócrates (e quem diz Sócrates diz o Parlamento, e nem sei se o PR) não impõe nada - ou só impõe o que o dr. Alberto João Jardim deixar. A lei que regula a interrupção voluntária da gravidez já entrou em vigor em Portugal - mas na Madeira não. Em defesa da vida, diz às vezes o dr. Jardim, porque não tem dinheiro para essas coisas, diz outras vezes. Recorre para o Tribunal Constitucional e espera que lhe dê razão, como lhe deu no caso da lei das incompatibilidades, válida para os políticos portugueses - mas só os do continente.

Em declarações à Imprensa, o dr. Jardim foi categórico a IVG não funciona na Madeira, nem as madeirenses têm o direito de sair do arquipélago para abortar. E, quando um (um...) jornalista lhe fez uma pergunta incómoda, recebeu esta flor da retórica jardinesca: "Você quer fazer um aborto? Não? Então, não me chateiem!".

Enquanto espero para saber se o dr. Jardim vai acatar, ou não, a decisão que inclui o aeroporto do Funchal entre aqueles em que de noite não pode haver aterragens e descolagens, fico com a certeza de que não vale a pena Lisboa julgar ingenuamente que manda no país inteiro, pois, se Salazar teve o seu Macau incómodo, Sócrates tem a sua Madeira incómoda. Até quando? Ora, até quando quiser o dr. Jardim. Entretanto, façam o possível por não chatear o homem!

Sérgio de Andrade escreve no JN, semanalmente às terças-feiras.

 

... com a devida vénia!!!... Sherpas!!!...

26
Jul07

... formados e informados, não somos... enganados!!!...

sherpas
 



... segundo dizem, na sexta-feira que se aproxima... o maior partido da oposição vai dar mais uma machadada grosseira no que nunca tivemos, arrastando o Charruas ao Parlamento, fazendo pela liberdade do palavrão, da ordinarice soez, defendendo a falta de civismo deste País, mascarando com a “fiel liberdade dos direitos adquiridos” logo após o 25ABRIL1974... quando proclama a delação, a bufaria como defeito maior que se pretende arredar da nossa prática esquisita do que nunca tivemos, quando brincamos ao que nunca foi, pela falta de respeito pelos outros, tolerância efectiva, não gratuita ou disfarçada, pela falta de civismo que patenteamos, quando procedemos ou falamos, interpelamos, manifestamos descontentamentos numa DEMOCRACIA inexistente!!!...

 

 

... estranha "forma" de vida!!!...

 

 


... deste “grande,” fraco líder que se arrasta... tudo se espera, basta verificar a subserviência perante o “bocata” da Madeira, com o que pactua incessantemente, permitindo promiscuidades e abusos, corrupções continuadas, desrespeitos constantes, indecências permanentes, palavrões de alto coturno, COISA esquisita e desajustada numa DEMOCRACIA qualquer, mesmo das “bananas” como a que temos, por vezes!!!...


... claro que não sou favorável à bufaria, que renego delatores, que sou pela liberdade de expressão decente, que sou pela demissão da Directora da DREN, pela do referido delator, pelo Charrua, também!!!... Claro que não aplaudo atitude insensata do pomar na jornada parlamentar que se propõe quando baralha conceitos de liberdade de expressão com indecências que se pronunciam, tal como na Pérola dos desmandos, fã incondicional que é... fraco líder, sem liderança alguma!!!...


... será que pretende implementar no Continente a política jardineira, do livre arbítrio selvagem e amoral, da asneira como lema, da prepotência e... bebedeira???... Não lhe vejo jeito... quando penso!!!... COISAS!!!... Sherpas!!!...

 

25
Jul07

... dinheiros... sujos!!!...

sherpas

A coordenadora do Departamento Central de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes (DCITE), Ana Paula Matos, foi detida, esta quarta-feira, no âmbito da investigação ao desaparecimento de dinheiro daquela secção. Ana Paula Matos está a ser ouvida no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa. A notícia foi avançada pelo jornal «Público», na edição online, e depois confirmada por uma fonte da pela Polícia Judiciária (PJ) à Agência Lusa.

A investigação foi aberta recentemente, depois de ter sido detectado o desaparecimento de 94 mil euros, em dinheiro apreendido pelo DCITE em duas operações de tráfico de droga.

Na sequência deste escândalo, o director nacional adjunto responsável pelo DCITE, José Braz, desde 2002 sucessivamente reconduzido no cargo, apresentou a demissão ao director nacional, Alípio Ribeiro.

... in TVI!!!...

... má imagem com que fica... a JUDITE!!!... Bah!!!... Sherpas!!!...

25
Jul07

... pilhos e... maus exemplos!!!...

sherpas
 




... continuamos sendo um País de “desenrascados”... seguindo exemplos mais elevados, no discurso, nas pequenas trapalhadas que surgem, nos aproveitamentos dos partidos que não sabem ser oposição, nos valores que se alçam ao mais elevado dos graus, esquecendo outros bem mais importantes, nivelamento de classes sociais com formação e informação adequada!!!... Há quem, por clubites exageradas... se baixe a níveis degradantes, não poupando os que tentam melhorar o que sempre foi mal, por uma questão de bota abaixo, simplesmente!!!... Claro que também critico determinadas atitudes de governantes actuais, claro que também sou vítima de políticas erradas que se vão cometendo por aí, claro que... sei destrinçar o que vai mal, assim-assim ou, como há uns tempos atrás, péssimo e sem rei nem roque, sequer!!!... Gosto de dar o “benefício” da dúvida aos que foram eleitos por maioria absoluta, não partilho duma luta dissoluta por um Charrua, por um Lusito, por uma Directora da DREN, por uma falha que se cometeu... por “bufarias” ou “indecências”, por tiques de autoritarismo que são comuns aos que foram ou são eleitos, defeitos que mantemos, dos que ainda não nos desligámos, réstias dum passado longo de ditadura salazarista!!!...


http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=836271&div_id=291 ... já fui mais Alegre, continuo apreciando a poesia... já não sendo!!!...


... concordo com o que escreve, tenho opinião parecida... não igual, mais distinta!!!... Somos dois elementos da velha guarda, fiéis a princípios éticos de que não abdicamos, falo por mim!!!...


... considero-me democrata, sendo-o quando respeito, quando não me disparato ao desbarato, não ofendendo... seguindo fiel princípio de que a minha liberdade termina quando começa a dos outros!!!... Se tal não acontece, a democracia em liberdade... começa a ser libertinagem, falta de decoro e bom senso!!!...


... continuo dizendo que se vai fazendo aproveitamento político por casos pontuais, quase pessoais e insignificantes, barulhos estrondosos por quem não se soube conter, por quem delatou, por quem não se afastou do lugar que ocupa, responsabilizando-se por toda esta salsada, mais uma palhaçada que aumenta, que faz discussão permanente, caso nacional, que é motivo principal para quem tem tantos motivos para... se calar, quando pactua com tristes amostras ligadas a corrupções e promiscuidades lesivas daquilo que é de todos, do Estado que temos, que lesou bolsos alheios, os nossos... continua lesando com a conivência dos que agora se empinam, tentando arrasar quem vai fazendo algo de proveito por este cantinho!!!...


http://dn.sapo.pt/2007/07/25/sociedade/lisboa_ma_nota_teste_honestidade.html ... aprendemos a roubar... vendo roubar, sem castigo, os mais elevados e conhecidos!!!...


... não me lembro de ver tanta ligação e afinidade entre comunistas e pomares, entre comunistas, bloquistas e populares... todos a uma só voz, esquecendo males e desentendimentos antigos, razão principal desta orquestração sincronizada, charrua(da) e lusitos, ofensas pessoais gratuitas, excessos de linguagem, destituição rápida, se possível do que vai ferindo interesses de alguns, se aferra ao Poder, tentando fazer!!!... Não os compreendia, menos os entendo... à medida que vou assistindo, castelos tão altos se elevam, exacerbamentos que abespinham em favor de alguém que não soube respeitar liberdade doutro, usando da “libertinagem” de expressão, delatado por bufo, destituído, com culpa provada sem castigo, tendo sido... agora com pretensão de ser ressarcido, afecto ao triste laranjal que se vai desfazendo!!!... Indemnizado do quê... algum dicionário de boas maneiras e contenção pretende, aprendizagem rápida da prática democrática, final dum espectáculo sem pés nem cabeça, destituição da responsável da DREN, dele também!!!...


... vamos aprender a ser cordatos uns com os outros, a gritar descontentamentos, apresentando soluções, outras opções credíveis, vamos mandando para o lixo o que não presta, comecemos pelo lado mais obscuro do País, rejeitemos os maus exemplos, afastemos os que se aproveitaram e aproveitam do erário público por sistema, tentemos ser mais normais quando avaliamos, não nos deixemos arrastar por febres passageiras!!!... O tempo dos descalabros continuados... foi bem mais grave do que qualquer boca que se atire, qualquer bufaria que se vislumbre ainda, qualquer tique de autoritarismo bacoco!!!... Vamos começar a aprender a ser... um País normal e decente!!!... Expectante, como sempre!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

24
Jul07

... de férias de Verão... pela terceira vez!!!...

sherpas

... Casa Pia!!!...

Este julgamento, que senta no banco dos réus sete arguidos, o mais mediático dos quais o apresentador de televisão Carlos Cruz, que já foi avô entretanto, completou segunda-feira 321 sessões e conta com vários outros recordes na Justiça portuguesa, divididos entre o «cansaço» de advogados, juízes, Ministério Público e alegadas vítimas.

O julgamento do caso, que eclodiu na opinião pública a 23 de Novembro de 2003, com um trabalho da jornalista Felícia Cabrita, que resultou na prisão do principal arguido, Carlos Silvino da Silva (Bibi), dois dias depois, teve início a 25 de Novembro de 2004, no Tribunal da Boa Hora, passou pelo antigo Tribunal Militar de Santa Clara e está actualmente a correr no Tribunal do Monsanto.

Depois de mais de 600 testemunhas ouvidas, tanto de acusação como de defesa, faltam ainda ouvir 242, das quais 42 o tribunal anda em diligências para conseguir as moradas actuais, segundo dados recolhidos pela agência Lusa, que revelam terem sido entretanto prescindidas 678 testemunhas.

Ao longo destes dois anos e oito meses, o processo, um dos mais mediáticos da Justiça portuguesa e que envolveu ainda personalidades como o apresentador e humorista Herman José e o antigo ministro socialista Paulo Pedroso, que chegou a estar preso cinco meses no âmbito do caso, atingiu até hoje 202 volumes, 504 apensos e mais de 47 mil folhas.

Estes dois arguidos foram ilibados da acusação de acto homossexual com adolescentes e abuso sexual de menores, respectivamente, por decisão instrutória da juíza Ana Teixeira e Silva.

Segundo dados do Tribunal, desde o início foram apresentados, quer ao procurador do Ministério Público, quer em audiência de julgamento, 1.439 requerimentos, estando ainda por conhecer 60 respostas do colectivo de juízes presídio por Ana Peres, referentes a diligências de prova complementares, arguição de irregularidades e audição de novas testemunhas.

Na fase de inquérito do processo deram entrada 72 recursos e na fase de julgamento 48, num total de 133, e foram produzidos 1.280 despachos, quer em audiência quer no processo.

Este processo, em que os advogados de defesa e os arguidos se queixam de morosidade e de consumir muito dinheiro em defesa, tem sido profícuo em recursos, pedido de afastamento de juízes, requerimentos e outros incidentes processuais, considerados por alguns intervenientes como meras manobras dilatórias.

Conta com sete arguidos: Carlos Silvino da Silva (Bibi), o ex-provedor adjunto da Casa Pia Manuel Abrantes, Carlos Cruz, o médico João Ferreira Diniz, o advogado Hugo Marçal (que chegou a representar Carlos Silvino) e Gertrudes Nunes, dona de uma vivenda em Elvas onde a acusação sustenta terem existido abusos sexuais de menores da Casa Pia.

Desde o início do julgamento, morreram duas das testemunhas, a juíza Ester Santos engravidou e deu à luz uma menina, terminando a licença de parto em Junho, altura em que o julgamento, que chegou a ter sessões todos os dias da semana, passou de uma para três sessões semanais.

Neste período ficaram resolvidos na Justiça todos os processos de abusos sexuais de menores da Casa Pia extraídos deste caso principal, com condenações para os arguidos, foi absolvido o médico Rui Dias, acusado de passar baterias de exames desnecessários a alunos da instituição para despiste de doenças sexualmente transmissíveis, tendo assim alegadamente lesado o Estado português.

Ficaram também resolvidos grande parte dos processos de calúnias e difamação que correram e estão ainda a correr em paralelo e mais de 30 alegadas vítimas de abusos sexuais, alunos da Casa Pia de Lisboa, foram indemnizados pelo Estado português em cerca de 50 mil euros cada um.

O processo Casa Pia foi também já considerado pelo presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP), António Cluny, como «uma fonte de inspiração para as propostas de reforma do Código do Processo Penal», relativamente a matérias como escutas telefónicas e prisão preventiva, mas não para «exigir uma reforma que se antevia necessária para a fase processual de julgamento».

Também António Marinho, advogado e candidato a bastonário da Ordem dos Advogados, considerou que o processo Casa Pia teve o mérito de «revelar alguns podres do funcionamento do sistema judicial».

Apesar de tudo, as pessoas mais optimistas ligadas ao processo admitem que o julgamento possa estar concluído até ao final de 2007, já com acórdão proferido.

Lusa / SOL

... justiça???... Chiça!!!... Sherpas!!!...


23
Jul07

... ladrão e... homicida!!!...

sherpas

Televisões espanholas «invadem» Figueira da Foz

2007/07/23 | 20:52
«O Solitário» era o criminoso mais procurado em Espanha
 

Seis canais espanhóis de televisão estão desde o final da tarde de hoje a emitir da Figueira da Foz, junto à agência bancária onde foi detido, em flagrante delito, o assaltante mais procurado pelas autoridades espanholas, noticia a Lusa.

O homem, de cerca de 50 anos, conhecido como «O Solitário», foi detido pela Polícia Judiciária (PJ), cerca das 13:40 de hoje, junto à Caixa de Crédito Agrícola, no centro da Figueira da Foz, quando se preparava para assaltar aquela dependência bancária.

O episódio levou até à Figueira da Foz vários jornalistas do país vizinho, em serviço para a TVE, TV Galicia, TV Madrid, Castilla La Mancha, Tele 5 e Atlas, que estão concentrados à porta da instituição bancária, com vários carros de exteriores.

Quando foi detido pela PJ o homem envergava um colete à prova de bala e estava armado com uma pistola e uma metralhadora.

... in Portugal Diário!!!...

 

... a P.J. de parabéns... por brilhante actuação!!!... Sherpas!!!... 

Pág. 1/7

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Os meus links

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D