Sábado, 24 de Março de 2012

... enredos!!!...

... enredo, paixão normal, fosse como fosse,

repleto de felicidade, chocolate quente, caramelo,

algo me trouxe,

ninfa, tágide enaltecida por Camões, sereia de ODISSEIA,

visão repleta, companhia que seduziu,

sem propósito, assim fluiu,

dança exótica, melopeia,

como gueixa do JAPÃO, dedos e mãos que se contorcem,

 

graciosos querubins, alados,

arcanjos tão irreais, quejandos e afins,

olhando para tantos lados,

mente aberta, olhos fechados,

 

macieza que se toca, arrepio, contentamento,

noite, amplo parêntesis, intervalo,

momento,

gestos, vestes, perdição, odalisca curvilínea,

sorriso ameno,

amarelo torrado, convidativo, salgadinho apetitoso, criativo,

outros sabores, odores embriagantes,

presenças inebriantes,

som celestial, amizade,

 

Pais sem ódios, sem baixezas,

sem opróbios,

equilibrado, tão social, desejos inúteis, gravosos,

PARAÍSO rosáceo, festival, palavras justas,

gestos formosos,

afastado de guerras, longe de lutas,

 

honrarias imerecidas,

prostrado, tão apagado, noite mortal,

tão banal,

tão ausente, tão igual,

brisa suave nas árvores, azuis celestes, agradáveis brisas,

exemplos que enaltecem,

aves tão belas,

esvoaçam, trinados se ouvem,

 

gentes prestimosas trabalham,

partilhando bens,

harmonia,

espelhada no rosto, alegria,

futuro risonho para os filhos,

neste cantinho, junto dos ninhos,

prazenteiro mandante,

sábio até,

imbuído de certeira boa fé,

 

sem grandes certezas,

cegas, surdas,

correria louca,

metas absurdas,

quanto as apoucas,

palavreado à toa, enganador, todo um politico,

todo um senhor,

 

que grande loa,

subserviência à toa,

 

sonho, que bem me soube,

quanto me trouxe,

acalmia, segurança, favor,

embora noite cerrada, estendido na cama, escuridão total,

silêncio profundo,

olhos fechados, fora do MUNDO,

 

ruído afastado,

imagem de medo,

verdade, grande segredo,

cadeado cerrado, sentidos trocados, imóvel,

longe de tudo,

 

sinos que tocam, convidativos, lembrando TEMPUS,

apelativos,

tenras idades, ferventes,

entrega total, gentes diferentes,

 

tudo era belo, tudo era doce,

paixão normal, fosse como fosse,

entendimento, na certa,

janela aberta,

família junta, canção tão nossa, mesa composta, agregado unido,

progenitores, filhas e filhos,

juntos, em casa, perto do ninho,

trabalho a rodos, sem empecilhos,

 

melodia que soa, se dissipa, esmorece, coração afagado,

belo recado,

sentimento que abriga, canta baixinho,

quanto carinho,

quanto recato,

quase se desmerece, brilho se espalha, ilumina espaço,

colorido formoso,

na cama, estendido, espírito fechado,

matéria, presença, ausência,

sem ritmo,

 

corpo doído, retoque na tela, na frincha,

pela janela,

interrupção abrupta,  perdido, olhos fechados,

ouço ruído,

 

ergo meu braço,

clico interruptor,

materializo a cena, espalho uma luz,

recordo a noite, enfrento certa dor,

não,

não é um senhor,

 

harmonia perfeita,

grande utopia,

carniça de gente, matança lá longe, no convento, um monge,

rezas, cânticos, matinas diferentes, muralhas espessas,

escudo potente,

silêncios pesados, trabalhos,

indigente,

 

chusma que acorre, lhe bate à porta,

vida cruel, vida tão torta,

 

ajuda que presta,

fracos recursos, tapando buracos,

partilhando comidas,

TEMPUS difíceis, hipócritas gentes,

mentiras,

procuras, excessos, abusos,

 

vítimas de agora,

tão parcas vidas,

fugas, vergonhas, buscas perdidas,

inoperância, desleixo, sonho desfeito,

levanto, com custo, logo me ajeito,

 

realidade que desperta,

rebate dum sino,

foi choque repentino,

notícia que alerta, presença constante,

desafio sem tino,

buracos de medo, culpas gravosas,

figuras medonhas, sonhos, pesadelos, barafunda com culpas, povoléu desgraçado,

tão pobre, desempregado,

 

são teias, novelos,

figuras, enredos,

enxameiam segredos,

 

dinheiros que fogem,

pessoas que sofrem,

exemplos escassos, tão débeis, tão raros,

nos topos... são tolos,

misérias, dolos,

chagados aos montes,

túneis tão longos, ajustes,

confrontos, duelo na ponte,

triste... desponte!!!...Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.mad}{#emotions_dlg.unshaved}

publicado por sherpas às 13:01
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 8 de Março de 2012

... velhos e... velhas!!!...

 

... porventura... seria melhor estar calado,

não gritar, como gosto,

agitar consciência de quem conserva seu posto,

imiscuir em nenhum lado,

resguardado, resguardado,

sendo eu, quando induzo,

nesta colectânea que produzo,

 

favorável a plebeus,

mediania a que pertenço,

horrorizado com miséria

que, em ruinosas cavernas,

quando vejo, não esqueço,

teima, força até,

continua bem de pé,

 

quase apagado,

luzerna,

cavadela em brejo pequeno,

parcimónia no que não tem,

da terra, retira sustento,

parca vida, alimento,

 

fonte que vai pingando,

corpo cansado,

débil traço,

gotejando por longas décadas,

arrasta desprezo,

esquecimento,

lúgubre paragem de medo,

tão só,

tão em segredo,

 

longe de tudo,

de todos,

afastado dos mais novos,

farrapo, como agasalho,

solidão, como companhia,

eremitério tão aberto

em pleno céu aberto,

 

poial,

como sustentação,

paragem, conformação,

descanso pela manhã,

 

fruta nova,

temporã,

há quanto TEMPUS, DEUS meu,

já perdeu,

esqueceu,

 

raio de sol,

aquecimento,

resistência que o prolonga,

pés com passo tão curto,

esconderijo,

simples refúgio,

 

augúrio que menosprezo,

tento afastar,

recuso,

aldeia deserta,

seu uso,

 

vida plena que recorda,

porta aberta,

sua esmola,

 

familiares em borbotão,

recorda,

ainda mantém ilusão,

quando se ergue,

acorda,

dias que são tão grandes,

quando lembra,

quando fala,

esquecido por tratantes,

quando sorri,

conformado,

apelidados de governantes,

 

quando olho,

confronto,

passo,

embora posto de lado,

não acusa porque cala,

reparo em ponto tão esconso,

linha de vida que s´encurta,

prolongamento que tanto custa,

 

morte,

como libertação,

essa, seria sua sorte,

em tão grande solidão,

sózinho, quase não fala,

não acusa porque cala,

 

cavadela, brejo pequeno,

homem, mulher rural,

campo imenso abandonado,

face enrugada,

carregado cenho,

 

roupa puída, um abrigo,

curvado com tanto peso,

lágrima que assomo,

desejo,

quanto te choro,

amigo,

 

empedrado arruinado,

casa, refúgio, telhado,

por ali,

abandonado,

poial,

descanso soalheiro,

menos mal, menos mal,

pedaço de vida,

um traço,

perto de um ribeiro,

ruína por onde passo,

vegetal,

penoso embaraço,

te recordo,

te afago,

te dou... caloroso abraço!!!... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.mad}{#emotions_dlg.sad}

publicado por sherpas às 13:59
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Março de 2012

... saltimbancos!!!... (TÍTERES)

 ... e a função continuava, ali ao lado do recinto,

olhos ávidos, pés descalços, com os fundilhos no chão,

pernas cruzadas, atentos, longe da conversação,

na farmácia, forças vivas do lugarejo

nem um sorriso, um trejeito,

por vezes, um simples bocejo,

 

era assim naquele TEMPUS,

padre, médico, professor, farmacêutico... um senhor,

por trás de pano velho, com buracos pelo meio,

voz rachada, engraçada, bonequitos de Santo Aleixo,

estorieta de figuras que se enfrentavam,

pancadaria sonora, gargalhadas em profusão,

quebra da rotina de pequena povoação,

 

brincadeira que se interrompia, grande alarido,

variação,

títeres que estavam, saltimbancos,

graçolas de palhaços pobres que entretinham outros pobres,

longe de palhaços ricos, com conversas, desvarios,

na eira, canseiras, desafios

 

sob vigilância do patrão,

eram brandos, eram mansos,

trabalho duro, presença do lavrador,

ausência que se notava na farmácia do senhor,

perto, mas ausente, tertúlia que se repetia,

enquanto a canalha, na rua, num e noutro dia,

sem saltimbancos, com títeres, corria ou se escondia,

 

repúdio pela escola, falta de regras em casa,

pais ausentes por trabalhos, rua como passatempo,

brincadeira, como entretenimento,

usufruindo, pela posição,

em amena cavaqueira, na farmácia dum senhor,

forças vivas do lugarejo, largo fronteiro à igreja,

que DEUS a todos proteja,

 

TEMPUS idos, revirados,

VIVER, não era favor,

quase tragédia, imenso calvário,

na presença dum sacrário,

cuidados escassos, tão raros,

dependentes, dependentes,

futuros que se adivinham,

na rotina que se quebrava,

quando os títeres iam e vinham,

 

saltimbancos de parte incerta,

agregavam humildes, miúdos,

não interrompia tertúlia,

mente sã que tudo desperta,

conversação ininterrupta,

noutra altura, noutra luta,

mais importantes, graúdos,

 

mudam-se os TEMPUS, alteram-se as vontades,

décadas de imperfeições,

novos ventos, realidades,

promessas que são sonhos, verdades,

conquistas de todo um POVO,

roda gira de novo,

forças vivas muito mais jovens,

outros espaços,

saltimbancos modernos, outros géneros,

conhecimentos vastos,

 

usurpadores, puros fantoches,

panos de luxo, hemiciclo,

num tremendo contraciclo,

levantam-se vozes e vozes,

 

cornetas mais que brilhantes,

tambores,

entoam algazarras possantes,

mostram feridas, mostram dores,

sofrem pancada a esmo,

intróito no parlamento,

 

parlatórios, convencimentos,

num CIRCO que se repete,

tão longe da terra batida,

ei-la que volta, gente sofrida,

tecnologias que tudo permitem

dinheiros que comandam,

ordenam,

vocifera, desnorteada,

sendo tudo, não sendo NADA,

 

buscando, com afã, bons bocados,

da mescla vão sobressaindo,

encostados aos elegidos,

quantos e quantos desenrascados,

novos políticos, novos ricos,

outras tertúlias de medo,

sem vergonha, sem segredo,

enviando para degredo,

 

quase descalços, no adro,

senhores que foram passado,

largo fronteiro, terra batida,

gente com fome, sofrida,

mala de cartão, em riste,

POVO sofrido, tão triste,

 

andarão de mão em mão,

saltimbancos, contradição,

conversada sem interesse,

local do descontentamento,

instalados em PARLAMENTO,

tão mandados, tão reduzidos,

pequenos e pequeninos,

humildes, com fomes imensas,

canalha quase descalça,

esse, o meu sofrimento,

 

 

andando, tão cabisbaixo,

alguns em cima, muitos em baixo,

com títeres tão confortáveis,

descartando PAÍS//POVO, vendáveis,

afugentando muitas valias,

novos saltimbancos, desprezados,

aventados para tantos lados!!!... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.mad}{#emotions_dlg.sad}

 

 

publicado por sherpas às 12:18
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 4 de Março de 2012

... títeres!!!... (SALTIMBANCOS)

... terra pacata, soalheira,

pequena vila de interior,

há um ror de TEMPUS atrás,

na farmácia, conversa interminável,

entre o padre, o professor,

farmacêutico, todo um senhor,

médico que por ali passava,

cumprimentava,

agregava,

 

fora da hora de serviço,

tarde amolengada,

sem viço,

muito acima do “incapaz”

ainda no TEMPUS da lavoura,

com ausência do lavrador,

fazendo presença, na eira,

vigiando tarefa da debulha,

trabalheira,

grande engodo,

engulho,

rotina que se processa,

estando fora da conversa,

 

canalha, em chusma, brincava

como todos os dia, na rua,

esta é minha, aquela é tua,

agarra-agarra, esconde e foge,

saltita, pontapeia a bola,

diversão deles, idade curta,

férias... fuga da escola,

pais na faina dura,

inclemente,

árdua tarde, conversa presente,

 

com pose, mãozita no bolso,

displicente,

dizia o médico, ouvia o professor,

farmacêutico que não era doutor,

um senhor, um senhor,

proprietário do espaço,

local preciso, não devasso,

todos os dias,

apropriado,

 

encontro de mais elevados,

com suas prédicas,

recados,

devaneios repetitivos,

ausente, o lavrador,

entre cenas, correrias, gritos,

brincadeiras na rua,

esta é minha, aquela é tua,

se ia matando o TEMPUS,

no interior,

 

entre igreja e farmácia,

terra batida, local indicado,

recordo, sem falácia,

invenção minha se, por acaso,

grupo compacto de gente estranha,

quase indigente,

na vestimenta,

entre adultos,

mais pequenos,

poucos confortos, algumas trouxas,

faces afogueadas, treinados,

com fífias, alguns saltos,

conversas que se atropelam,

muitos sons,

instrumentos,

rebolam, contorcem,

esperam,

 

poiso improvisado, tenda composta,

ali posta,

pano sobre paus,

cordéis,

farrapos, burros mancos, velhos,

não corcéis,

manta estendida no chão,

bolas, objectos vários,

saltitantes na mão,

como cascata, profusão,

confusão,

aglomerado que chama atenção,

 

forças vivas do lugarejo,

perante toque roufenho

de corneta amolgada,

carregaram cenho,

tambor que se faz ouvir,

interromperam cavaqueada,

olharam, com displicência,

viraram costas, recomeçaram,

 

enquanto, na terra,

chamados por pregão altissonante,

“HOJE, há títeres no largo da igreja”

mais humildes se juntaram,

magotes, em profusão,

quebra da rotina, ilusão,

olhos que não viam,

olharam,

embasbacados perante

habilidades mil, truques mágicos,

malabarismos,

contorcionismos,

equilíbrios, alguns saltos,

 

em TEMPUS mais recuados, abaixo dos instalados,

forças vivas da terra,

parada, que não prospera,

arrumadinhos na farmácia,

conversas profundas, restritas,

grupo composto, sempre o mesmo,

dia de saltimbancos, quase indigentes,

outras gentes, tão diferentes,

fazendo espectáculo na rua,

esta é minha, aquela é tua,

interrompia qualquer corrida,

dava um pedacito de vida

aos que, dela, nada tinham,

enquanto iam e vinham,

 

andantes,

desabrigados,

com trouxas, burros mancos,

muito antes, muito antes,

truques, malabarismos,

produziam uns entretantos,

corpos esbeltos, contorcionismos,

padre, professor, médico

e farmacêutico,

todo um senhor, todo um senhor,

com ausência do lavrador... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.smile}{#emotions_dlg.smile}{#emotions_dlg.smile}

publicado por sherpas às 10:19
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. ... sabores!!!...

. ... experimentação!!!...

. ... PIRATAS!!!...

. ... descalçar... as BOTAS...

. ... pérolas!!!...

. ... bocejo!!!...

. ... reprimenda!!!...

. ... heróis e... cavaleiro...

. ... se possível fosse!!!....

. ... TATE!!!...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.favoritos

. ... antes que... a vida, ...

.links

.as minhas fotos

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds