Terça-feira, 31 de Agosto de 2010

... intempérie!!!...

 

… fortes rajadas m´arrastam por ruas quase desertas,

tolhidos movimentos, tremuras, arrepios,

sigo em frente, tendo ideias firmes, concretas,

quase não sinto, lembro campos floridos, disfarço,

recolho minh´alma, quase m´afago,

enquanto vou naquilo que me proponho,

d´encontro a quem m´aguarda, estando acordado, quase sonho,

 

imposições que se não adiam,

papeladas que se renovam, criam,

burocracias que persistem,

aumentam, ainda existem,

assuntos vários, desafios, repartição bem abrigada,

funcionários, muitas caretas,

rodopio por entre resmas,

assunto que gira, mira, remira, vai de mão em mão, dedicada,

vida que se destina,

obrigada,

 

ambiente que destoa da temperatura exterior,

mangas arregaçadas, algum destempero, calor,

que diferença, bafo que sinto quando entro,

sorrisos convidativos,

ainda há pouco, na rua, dura labuta, improvisos não receptivos,

 

flocos que cirandam pelos ares, brancos, leves, gráceis no volteio,

estética que receio,

quadro que me não avassala, enleio, cruel decisão, neste meu passeio,

 

arrastar de quem precisa, saída precipitada dum conchego q´é lar,

papelada que não s´acerta,

nos alerta,

caducidade,

indo ao jeito, contrafeito, no coração da cidade,

 

encolhido nos meus abrigos, há que tentar,

recomeçar,

luta que não é disputa,

actualização, necessidade,

duras penas de quem precisa,

dia que nos avisa

num tempo determinado,

mais inclinado p´ró frio,

 

agrura deste Inverno, rigores que nos maltratam

no Outono das nossas vidas, na rua quase deserta,

quando m´arrasto, pesado,

mente que me pressente,

estando fora, estando ausente,

a isto fui forçado,

contra fortes rajadas de vento, numa imposição, contratempo,

como vergastas em série,

rosto que se sente exposto, num débil, abrigado corpo,

inusitada… intempérie!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 17:49
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Agosto de 2010

... ponto!!!...

 

… pode ser um ponto isolado numa página branca ou escura,

com rima que saltita, dança, quando encanta, delicia,

perdido, sem sentido, qualquer espécie de métrica, enquadramento,

quase escondido naquele deserto de ideias, perdido, sem guia,

coisa vazia, interrogante quando se pergunta,

murmurando para seus botões, fraca valia,

no que se considera ou não… poesia,

 

pode ser choro convulso, dor permanente, chaga de vulto,

riso incontido, gargalhar constante, histeria colectiva,

contrários que chocam, martirizam, algo oculto,

contraponto que se adivinha num simples ponto,

situação que causa dúvida, repleção,

perante tanto espaço por preencher, num ter que ser,

reflexo ocasional de quem não quer,

acabando por escrever o que tem pensado,

num ímpeto arrebatado, improvável, de quem se julga,

aceitando o casual, tão normal que se não culpa,

descrevendo o vento, o insecto, o objecto, o mar que se espraia,

a morte que impressiona de medonha, abjecta no seu amor,

seja onde for,

 

a criança que sofre, mais esqueleto, cheia de fome,

meninos prendados, tão protegidos, filhos do homem,

universalidade que arrecada num ponto que se estica,

ligeira brisa,

páginas repletas, cheias, completas, com rima, com métrica,

cantares de flores que remanescem, desabrochando,

corpos que comungam dum idílio que vão amando,

aves que voam, depenicam pedrinhas numa calçada,

galos, galinhas, poderes de papo cheio,

vazios armários, casarões de rebentar,

ventres esquecidos, partos com dores, futuro dos filhos,

mentes inversas, delírios p´ra dar, guerras nos mundos,

bocas caladas, faces viradas, sozinhos, mudos,

 

águas da fonte, cristais que brilham, riquezas a esmo,

farturas, gastos, lautos repastos, mentiras do mesmo,

hipocrisia que cansa, avidez que sente,

poesia num ponto que prolonga, se torna poema,

instante que surge, página vazia, som ou fonema,

espaçamento que alinha surgindo num esquema,

casa bonita, rapariga airosa, paisagem de sonho,

palavras amigas, tão simples, sensíveis,

locais da esperança… damascos, sedas, sorrisos visíveis,

 

torturas que esquecem, param, prolongam,

surgindo provires,

recomeço interminável, vida que aperfeiçoa ser complexo,

que se entrega, revolta, reproduz pelo sexo,

que mata, que esfola, que maltrata com primor,

causando revolta, pasmo, pavor,

 

num ponto me refugio, página imensa,

tão só, sofrido no que se não pensa,

poema que sai, rugido que sinto,

pequeno, mediano, sem grande tamanho,

desilusão que persegue, estorna, engano,

comparação com quem foi, não comungo, diferente,

coisinha de nada… amostra de gente!!!... Sherpas!!!...

 

 

publicado por sherpas às 17:33
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 29 de Agosto de 2010

Deepwater Horizon fears resurface as rigs probe for oil under Arctic ice

In a few days' time, officials at the Bureau of Minerals and Petroleum in Greenland will reveal the winners of a new round of licences to drill for oil and gas in its waters. The announcement promises to be explosive.

 

... in http://www.guardian.co.uk/environment/2010/aug/29/deepwater-horizon-greenland-oil-drilling-arctic

 

Among those waiting are most of the world's leading oil companies, including ExxonMobil, Shell and Norway's StatOil. Watching with equal attention will be the planet's leading green groups, who they have pledged to block every effort to drill in the Arctic.

 

"The Arctic is the last pristine refuge in the northern hemisphere and it is simply not acceptable for oil companies to come here to drill and risk triggering a disaster that would dwarf the Deepwater Horizon spill," said Ben Ayliffe, senior energy campaigner at Greenpeace. Its ship, the Esperanza, is currently trying to disrupt drilling in the Davis Strait off the Greenland mainland. "We are going to make a real fight of this,"he said.

Last week the future of drilling in the Arctic hit the headlines when it emerged that BP, in the wake of the disastrous oil spill off America's Gulf Coast, would not be bidding for contracts in the region. But the other oil giants will. And it is not hard to understand why.

 

Last year, the US Geological Survey estimated that there were more than 90bn barrels of oil beneath the Arctic seabed – an estimated 13% of the world's undiscovered reserves – with the waters around Greenland, as well as the Beaufort and Chukchi seas, pinpointed as the most promising zones.

 

Only a handful of test wells have been sunk so far, and no oil has yet been discovered. Oil companies are confident of success, however, while environmentalists are grimly resigned to the idea of wells being sunk. Greenland, Beaufort and Chukchi are all likely to become sites of future drilling – and of major battles with ecologists.

 

The irony of this battle is not lost on environmentalists. At present, increased fossil fuel emissions are raising global temperatures and melting ice caps, a process that is making it much easier to drill for fossil fuels, as ice sheets break apart and expose shallower waters in the far north.

 

The divisive nature of these issues is highlighted in sparsely populated Greenland, the world's largest island. Most of its citizens currently view the prospect of major oil revenues as mouth-watering. At present, Greenland's 57,000 inhabitants rely on fishing and a £400m annual handout from the Danish government to maintain their livelihoods. Oil money could replace the latter and give the country independence from its Danish overlords. Hence the swift reaction last week to accusations that drilling in "iceberg alley" – as the Davis Strait is known – was environmentally hazardous. The country was well prepared, claimed Kuupik Kleist, Greenland's premier. "Of course, we are influenced by what happened in the Gulf of Mexico," he said. "We know that we are talking a huge responsibilty on our shoulders." Most islanders support this view.

 

But such assurances do little to comfort campaign groups such as Greenpeace. "These waters, like all Arctic waters, are incredibly dangerous," said Ayliffe last week. "They have to have ships on standby to push away icebergs or fire water cannons to deflect them. And then you only have a short window in summer to drill before the ice moves back in."

 

Greenpeace has targeted Scottish oil company Cairn Energy as its most dangerous foe. Cairn – which is run by former rugby international Bill Gammell, a friend of George Bush and Tony Blair – recently raised several billion pounds from the sale of its stake in its Indian oilfields in Rajasthan and has selected Greenland to be the site of all future exploration efforts. Last week, it announced the discovery of gas reserves there, though it admitted it has yet to find oil. Greenpeace has pledged to block its operations there.

 

Should there be a blowout of a well in this pristine wilderness, it says, it would be considerably more difficult to drill a relief well than it was in the Gulf of Mexico after a catastrophic explosion crippled BP's Deepwater Horizon rig earlier this year. Oil could be left gushing from a broken well for years, it is claimed.

 

Such fears have fuelled environmentalists' determination to try to block all drilling efforts in the high latitudes as new licensing rounds are lined up in Greenland for 2011 and 2012.

 

Other countries, such as the US, Canada and Norway, have imposed tougher new regulations on deep-water drilling. How long they are kept in operation, as Greenland opens up its waters, remains to be seen. At the same, Russia – which already has vast oil and gas drilling operations at Sakhalin – is known to be eyeing the Chukchi Sea, farther north, beyond the Bering Straits that divide Alaska and Asia. All are thought to possess rich oilfields that will become more and more important as the rest of the world's reservoirs dry up over the next two decades.

 

The pressure on the far north is becoming relentless.

 

... combustíveis fósseis... ah, os combustíveis fósseis!!!... Sherpas!!!...

Additional research by Cate Attwood

publicado por sherpas às 09:48
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 28 de Agosto de 2010

... sujeitos!!!...

 

… não quero desfear quem se considera,

reparando,

construtor de ideias contrárias aos que se julgam,

bonecos feitos,

manobrados por quem pode neste universo,

dependentes,

corpos sem vontade própria,

desejando,

ocultando falhas avultadas,

fazendo jeitos,

características dos que não passam de sujeitos,

 

ambivalências que se guerreiam,

por dinheiros,

não sendo, só tendo,

parecendo o que mostram porque reféns,

fatos perfeitos, lugares de estrondo,

figuras de topo,

sorrisos forçados, máscaras, sons,

trastes que falam,

que tratam,

que estragam,

destinam futuros,

buscando pretextos, instantes,

um gozo,

 

viagem tão fina,

instalação perfeita,

escravos que são,

são mentes, são duros,

políticos às vezes, pandemónio instalado,

sangria que fazem

quando desfazem,

desligam,

elevam, norteiam desejos,

abraços, beijos,

 

curvaturas brejeiras,

farturas de medo,

compassos na pauta,

tristeza, solfejo,

arquejo de quem arfa, resulta sobejo,

informes nos excessos, escassos na fome,

pestilências,

ensejo,

não como, vomito, reparo… só vejo

sujeitos

quase apagados,

sem predicados, alguns trejeitos!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 06:52
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

... já foi arbusto débil!!!...

  

… já foi arbusto débil, vergado ao vento,

cresceu, robusteceu, fez-se árvore de vulto,

sombra agradável, recanto, entretenimento,

deu frutos, filhos das entranhas,

magia, encantamento,

alimentou sonhos doutros, fez-se navio,

 

foi amargura, cruz de sofrimento,

foi gemido, foi sangue, foi castigo,

foi casa, foi abrigo,

com artes, mãos hábeis, muitas manhas,

fizeram o que quiseram,

a tudo se sujeitou,

 

quantas intempéries enfrentou

por todas as partes deste mundo,

foi ao largo, foi ao fundo,

com outras irmãs suas, bem unidas,

desagregou, pedaço a pedaço,

deixou de ser casco,

 

atirado para praia deserta, areal desconhecido,

sem um grito,

para ali esteve,

remoeu tudo que foi, aguentou sol, chuva,

lenho já carcomido,

lambido por maré viva que alivia dores,

sentiu-se acariciado,

elevado,

tronco que bóia, que não esquece,

voga de novo, sendo tudo, num mar encapelado,

revigorado,

embora gasto, deformado,

mais uma vez arrojado,

 

escultor que passa, que admira,

imagina

agarra aquele cepo, revira-o embevecido,

alguns toques não desfazendo,

mantendo,

expõe em salão pejado de gente,

que bem o sente,

não está carcomido, foi trabalhado pelo mar, pelo vento,

como em qualquer parte,

deixou de ser, já não se lembra de ser árvore,

 

intensa peça de arte,

já não é castigo, amargura, objecto vulgar,

rara preciosidade, tronco seco… resto do mar!!!... Sherpas!!!...

 

 

publicado por sherpas às 17:34
link do post | comentar | favorito
|

Mineros atrapados por las leyes

Cae la noche en el lugar donde murió hace seis años Pedro González, cerca de donde cayó Fernando Contreras dos años después, en el mismo sitio donde falleció Manuel Villagrán en 2007, en la misma zona en que un derrumbe se llevó el pasado 3 de julio la pierna de Gino Cortés y donde ahora permanecen enterrados en vida 33 hombres a 700 metros de profundidad: la mina San José. Las familias se han reunido en asamblea, como todas las noches. Margarita Lagos, la madre de Claudio Yáñez, de 34 años y dos hijos, no acude a la reunión. Está sentada en su chamizo, al resguardo de una candela junto a Javier Castillo, secretario del único sindicato de Minera San Esteban, propietaria de la mina.

 

La compañía la integran unos 150 trabajadores, de los cuales 75 son miembros del sindicato. Hay familias que han interpuesto una querella criminal contra los dueños de la mina. Pero Castillo aconseja a Margarita esperar a que el sindicato haga una "sólida presentación jurídica" que apunte a "dar castigo a los responsables" antes que a buscar compensación económica. "La querella en Chile está abocada al fracaso mientras los mineros permanezcan con vida", señala Castillo.

 

... in http://www.elpais.com/articulo/internacional/Mineros/atrapados/leyes/elpepuint/20100827elpepiint_9/Tes

 

"Nosotros ya conseguimos cerrar esta mina después de la muerte de Villagrán en 2007", le explica Castillo a Margarita Lagos. "Pero al final, se reabrió. Dentro de unos meses puede que los que estén ahí abajo cobren sus indemnizaciones y a cambio no quieran denunciar ni a la empresa ni al Gobierno. Pero así seguirán muriendo otros mineros. Al minero boliviano que está ahí enterrado, tal vez el presidente Evo Morales le ofrezca una pensión de por vida y él se vaya a Bolivia y no quiera complicarse la vida con denuncias. Y yo no se lo puedo llevar a mal, nunca me voy a poner en contra de ellos. Pero nuestra obligación es luchar para que los propietarios inviertan en la seguridad".
 

El problema es que si se cierra una mina, el minero puede ir al paro. "Y en España, el Gobierno te da dinero por estar cesante, pero aquí no. Aquí, te quedas sin nada", comenta otro sindicalista. "Los mineros cargados de hijos se niegan al cierre, pero yo les digo: si no se cierra, tu mujer lo único que va a recibir de ti va a ser un cajón. Cuando cerramos esta, los compañeros encontraron trabajo en otras. Pero entonces no había aquí periodistas. Los mismos empresarios volvieron a abrirla tras unos meses y tuvieron que ser otros mineros quienes vinieran a comprobar empíricamente, por ellos mismos, que no se podía trabajar ahí".

 

El reclamo que usó la compañía para encontrar trabajadores fue muy sencillo: aumentar los sueldos un 20% respecto a otros yacimientos. Los empleados de San José ganan de media 857 euros (550.000 pesos) al mes, mientras que el salario medio en otras empresas de tamaño semejante es de 700 euros. Con las horas extras un obrero puede cobrar el equivalente a unos 1.000 euros.

 

Alejandro Bohn, uno de los dueños de San José, declaró recientemente: "No es momento de asumir culpas ni de pedir perdón". Castillo cree, sin embargo, que Bohn tendría que ir a la cárcel. Y que el Gobierno también debería "responder legalmente por haber autorizado su apertura".

 

 Margarita Lagos aconseja a Castillo que trate de convencer al resto de familias para que no se pongan en manos de los abogados del Estado. "Porque ellos son juez y parte. Van a muñequear [enredar] y, al final, todo se quedará en nada".

 

Mientras conversan la familia de Lagos y el sindicalista llega a la fogata Cristina, la esposa de Claudio, con una carta que acaban de entregarle enviada por el minero Jhony Barrios, de 50 años. Barrios es el único de los 33 con conocimientos de enfermería. En este momento resulta de gran utilidad para los equipos de rescate. Su vecino Tomás Sepúlveda, padre político de Claudio Yáñez, cuenta que Jhony se separó hace unos meses, después de 25 años casado, y ahora hay ciertas disputas entre "la Marta Salinas y la amante" por ver quién lo representa. En el papel, Jhony Barrios delega en su novia. Si se está hablando de indemnizaciones, y muchas familias hablan de ellas, el dato es importante.

 

Castillo prefiere centrarse en las responsabilidades antes que en el dinero. "Ahora, la ley viene a decir: si las condiciones de la mina son malas, tienes la libertad de irte. Pero no existe el derecho a trabajar en condiciones seguras. Si se tienen que cerrar minas, que se cierren, aunque nos quedemos sin trabajo. Nuestros tiempos son más largos que el de los periodistas. Cuando ustedes se vayan, aquí seguirán muriendo mineros".

 

... vidas tão sofridas... nas MINAS!!!... POXA!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 06:44
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 24 de Agosto de 2010

... furibundas!!!...

 

… furibundas, tonitruantes,

multidões que estão à solta,

contrários que se agridem

na inversão que pretendem,

sente-se no ar a revolta,

na rua, quando denigrem,

 

quando alteiam vozes, mostram cara feia,

retratam o que não querem, escondem renúncias,

quando atalham caminho, apontam denúncias,

falam mais baixinho, recalcam pensamentos,

quando ocultam rostos,

quedam mostos,

desejam vinho novo,

sentem-lhe o gosto, agitam o que está posto,

incomodam a progressão,

semeiam ódio, aversão,

 

quando dizem que não,

vira-se acusação, não pedem contenção,

quando se não quer o que incomoda,

como prova, avaliação,

que incute medo, frustração,

gentios em desvario,

 

ministra que pretende mas, não entende,

sindicato que governa,

na rua, na praça, na caserna,

idade da pedra lascada,

na caverna,

voz altissonante, irada,

revolta que solta, agride,

palavras sem contemplação, carreira que não progride,

à cacetada,

vociferante,

tão aberrante,

 

estratégia que não cumpre,

respeito que não incute,

exemplo do desvario,

desta gente que parece um rio,

orquestrada sob batuta,

daquilo que chamam luta,

quase birra, enfrentamento,

truque, aproveitamento,

 

altura de dar o preceito,

com firmeza, insistência,

indo ao jeito, contrafeito,

classe que dança em profusão

ao toque de certas bandeiras,

barulho estrondoso

como nos mercados, nas feiras,

espalhafatoso,

teimosia que não cessa,

 

rinha que pouco interessa

a quem não passa da cepa torta,

pouco se amolga, não se importa,

desinteressa!!!... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.mad}{#emotions_dlg.sad}{#emotions_dlg.portugal}{#emotions_dlg.smile}{#emotions_dlg.santarem}{#emotions_dlg.aveiro}{#emotions_dlg.portalegre}{#emotions_dlg.beja}

publicado por sherpas às 20:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

... formosas!!!...

 

… tão belas, festival colorido que se adona de local,

brota por cima dum muro cerrado,

portão fechado,

mostra, a quem passa, sua graça, encanto tamanho,

espanejal berrante de odores que inebriam,

cores flamantes que cativam,

 

prendem olhares,

palavras soltas que não retemos,

tão poucas, tão pobres perante o que nos extasia,

delírio, fantasia,

 

débeis, tememos desmoronamento repentino,

fugaz passagem, pletórico rasgo que inunda o que nos cerca,

parede, lapada que refresca,

completa,

acerta,

toque final de artista mais alto, um sábio, um louco,

omnipotente na maravilha que concebeu,

mostrou, nos deu,

 

cadinho de Céu que ficou mais perto,

universo num todo majestoso,

tão lindo, formoso,

parado, olho, falo comigo,

sozinho,

quando reparo, quando passo,

 

figura de quem duvida de meu juízo,

quando cruza ali perto,

abanando cabeça, apenando meu prejuízo,

doente tão perto,

afasta,

quedo estático,

embevecido pelo que vejo, louvor tão GRANDE,

na cor, esparso perfume adocicado,

 

recanto maravilha, êxtase inebriante,

que pena que eu tenho,

não tenho,

não trouxe maquineta que tira foto,

retenho na memória,

escrevo,

não avanço, não consigo,

quase fulminado, sento por ali,

olho com gula tudo que completa aquele local,

tão simples, banal,

descomunal,

 

enaltecido por flor resplandecente,

auge da sua floração,

tão chama, tão cor, tão emoção,

entrega de quem vive curto momento,

portento,

 

combinação que clama,

sossega quem vê,

premeia, completa passeio,

tão cedo,

anseio!!!... Sherpas!!!...

 

{#emotions_dlg.confused}{#emotions_dlg.mad}{#emotions_dlg.sad}{#emotions_dlg.portugal}{#emotions_dlg.smile}{#emotions_dlg.santarem}{#emotions_dlg.aveiro}{#emotions_dlg.portalegre}{#emotions_dlg.beja}

 

publicado por sherpas às 20:45
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

Stolen Van Gogh painting still missing

Egyptian minister retracts statement that Van Gogh painting was recovered hours after theft from Cairo museum

 

A Van Gogh painting worth $50m (£32m) stolen from a museum in Cairo is still missing, despite reports it had been recovered hours after the theft.

 

Egypt's culture minister retracted an earlier statement that security officers at Cairo airport had seized the painting from two Italians who were believed to have carried out the raid at the Mahmoud Khalil Museum.

 

... in http://www.guardian.co.uk/artanddesign/2010/aug/22/stolen-van-gogh-still-missing

 

Farouk Hosni told Egyptian TV his announcement that the painting had been recovered was based on "inaccurate information".

 

The state news agency Mena reported that an Italian couple had aroused suspicion after they were seen visiting a toilet at the museum and then rapidly leaving the premises.

 

The artwork – which goes by two titles, Poppy Flowers and Vase With Flowers – was stolen on Saturday. It is the second time the painting has been stolen from the museum. Thieves made off with the canvas in 1978, but authorities recovered it two years later at an undisclosed location in Kuwait.

 

The details of the first theft have never been fully revealed. When the painting was recovered, Egypt's then interior minister said three Egyptians had been arrested and had informed police where the canvas was hidden. It was not reported whether the thieves were charged or tried.

 

The work, measuring 30cm by 30cm (1ft by 1ft), depicts yellow and red flowers and resembles a scene painted by the French artist Adolphe Monticelli, whose work deeply affected the young Vincent Van Gogh. The Monticelli painting also is part of the Khalil collection.

 

Van Gogh is believed to have been painted the canvas in 1887, three years before his death from a self-inflicted gunshot wound.

 

... criativos de... todos os TEMPOS!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 12:44
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Agosto de 2010

... pelo sim... pelo não!!!...

... questão de deixar "recado" para os q´estão... fui de armas e bagagens pr´ó ORKUT (rede social também LOL) do GOOGLE!!!... QUALQUER dia volto... ou NÃO!!!... Enfim... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 18:50
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 11 seguidores

.pesquisar

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ... acabadinha de... cheg...

. ... sabores!!!...

. ... experimentação!!!...

. ... PIRATAS!!!...

. ... descalçar... as BOTAS...

. ... pérolas!!!...

. ... bocejo!!!...

. ... reprimenda!!!...

. ... heróis e... cavaleiro...

. ... se possível fosse!!!....

.arquivos

. Novembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.favoritos

. ... antes que... a vida, ...

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds