Sábado, 24 de Março de 2007

... porque nos toca... somos Europa!!!...

... tratado de Roma e... afins!!!...

… a Europa do tratado de Paris, de Roma, de Maastrich, do tratado de Schengen, da moeda única, da estratégia de Lisboa, entre outras, das alianças económicas, das decisões arbitrárias impostas por políticos e capitalistas, ao arrepio das populações, dos poucos referendos que se vão fazendo, dos europeus que ainda se fazem reger por princípios que já adulteraram, quando se meteram em guerras tremendas e injustas, bárbaras, cruelmente devastadoras, por ganância de países, de feras que se soltaram, que ascenderam onde nunca deveriam ter ascendido, deixando rastos cruéis, inverosímeis, necessitando de quem foi obrigado a entrar, também, potência que despontou, que aumentou poderio militar, se instalou ao longo de décadas, ainda permanece como garante, dizem!!!…

 

… Europa da estabilidade que, por vezes cai, da velha divisão dos aliados, com muro ao meio, duas ideologias com seus defeitos, com suas marcas profundas, jogadores de xadrez, Mundo repartido entre dois adversários, comunistas e capitalistas, Oriente e Ocidente que nos mostraram qualidades e defeitos, que continuam mostrando… já depois da queda, vontade que permanece, puxar para si o melhor bocado, divergências que surgem todos os dias, Países que se desenvolvem por meio de atitudes bélicas, morticínios que fomentam por toda a parte, alianças secretas ou duvidosas, mentiras que se arranjam e atiram, descrédito que vai crescendo, medalhas e apoios que se dão, a nível mais elevado, fraca pretensão que não tem futuro… assim o auguro, perante os excluídos, os enriquecidos, a desvalorização da pessoa em si, a economia que se pretende como meta primeira, globalização que perverte, que não dá segurança aos que trabalham, aos que sustentam esta Europa que festejam em Berlim, após os cinquenta anos do Tratado de Roma, seu princípio, tristeza que se encontra por um fio!!!...

 

… Tratado Constitucional Europeu que se rejeitou, que se quer referendado, outra vez, que será rejeitado pelos europeus que não encontraram o Paraíso ainda perdido, encontrado por alguns, somente!!!... Europa dos políticos, dos capitalistas que deslocam grupos e empresas, que acumulam dinheiros aos montes, que não dividem seus frutos de forma mais abrangente, que despedem facilmente, que usam e abusam dos funcionários que têm a cargo, que os transformaram em simples parafusos, que os deitam fora, os arrastam para a miséria… com displicência!!!...

 

… Europa do exército único que a líder alemã pretende, soldados formados para a PAZ, mantendo-a, não partilhando aventuras loucas americanizadas, não fazendo guerra aberta ao Islão, por petróleo, por religião, por terrores semeados, acumulados ao longo de vidas que se desprezam, males que se agravam, sistema que ainda não interessa, tão pouco para venda de armamentos, equilíbrio da economia dos pavores, terrores que espalham por todo o lado, ideias que não nos convencem, nos afastam, nos fazem descrer, penso por mim!!!...

 

… Europa dos valores, da dignidade, da contenção e solidariedade, abrangente a todos… a quem nos procura, intenção de pôr fim a tamanha loucura que nos vergasta todos os dias, sem falcões famintos, sem lacaios dos ditos, nódoas que se devem limpar, afastar, esquecer, fazendo por construir uma vida mais harmoniosa, insatisfação que teima, que nos assola, que se pretende organizar… fazendo referendo, buscando consenso, ouvindo os europeus em geral… sem excepção alguma!!!... Queremos uma Europa igualitária, na mesma velocidade, sem cantinhos espampanantes e ricos, sem traseiras medonhas, miseráveis e espezinhadas, patrões e escravizados, sem brancos, pretos, amarelos ou vermelhos, todos iguais… credos respeitados, laicismo puro, respeito mútuo, pessoa como vulto, dinheiro como objecto, simplesmente!!!...

 

…uma Europa como uma grande casa com muitos quartos, como escrevia uma nossa representante em Berlim… onde todos entremos e tenhamos oportunidade de fazer ou refazer a nossa vida, sem distinções absurdas, sem quadro de horror que nos envergonhem!!!... Direitos e garantias, respeitados… numa igualdade, numa liberdade e fraternidade que se renova, sonho antigo que acalentamos, como somos, pretendemos sempre!!!...

 

… meu embevecimento, a obra mais maravilhosa que existe… o ser humano, com grandezas e baixarias, portento em desenvolvimento constante, asno na aprendizagem perante erros cometidos, bisados tantas e tantas vezes!!!... A memória é curta, dizem… para se desculpabilizarem, quando os cometem duma forma continuada, em busca da sociedade perfeita, quiçá!!!... Nunca avaliei pessoas pelo que são, pela inclinação sexual, pela religião ou opção política, pelos títulos que ostentam, pelas condecorações ou medalhas que recebem e mostram, com desfaçatez… antes pelo que não fazem, pelo que fazem ou desfazem, agradecendo, de todo o coração, as linhas mais nobres que li, os princípios que adoptei, escritores e filósofos de corpo inteiro, formados na perfeição, que me levaram a pensar assim!!!...

 

… na vida, no livro que vamos escrevendo… aos poucos, há três capítulos primordiais, o nascimento, berço que temos ou não, o percurso que vamos trilhando, com feitos e defeitos… o final, a morte que nos aguarda a todos por igual, mesmo aos que deixam nome gravado em ruas, em praças e pracetas, estátuas com poses de espanto, livros poeirentos nas estantes de quem os leu, esqueceu, partiu para outra, em busca de futuro, como se nada!!!... Há muita gente a quem não é garantido, ainda, um percurso normal… na vida, nesta Europa que temos!!!...

 

… gosto de avaliar, não dando notas à toa, soltas ou por soltar, falando com os meus botões, utilizando o que tenho, escrevendo… quando com disposição para isso, o que fizeram ou desfizeram os eleitos nas democracias que se apregoam como tal, não sendo!!!... Como tenho memória de elefante… não esqueço, facilmente, os que mataram e destruíram, os que pactuaram com isso, os que escravizaram, os que roubaram, os que ocuparam lugares de topo sem qualificação adequada, os que morreram com fome, os que foram usados e abusados, continuam sendo!!!... Mantenho sonho de sempre… sociedade racional, mais social, tolerante e aberta, Europa como modelo, bem afastada do capital, da globalização que despreza a pessoa, utiliza e deita fora, liberalismos que metem medo, grandíssimo defeito!!!... Aprovemos a Constituição Europeia, mediante referendo feito… participado por todos os EUROPEUS, continuemos com o sonho, concretizemo-lo em condições, não copiando, sendo diferentes, dando exemplos ao MUNDO!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 14:20
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Março de 2007

... minha terra... também!!!...

… defeito ou qualidade das pessoas que acumulam anos, por via das circunstâncias… vão vivendo e juntando experiências de tal ordem que, numa dada altura, num determinado momento, tenho pena de quem esteja por perto, despejam como torrente enorme, que afoga, que soçobra quem ouve, por muita boa vontade que tenham, bons ouvintes permissivos, leitores complacentes… quando nos lêem, também!!!... Assim passa comigo, com toda a gente, afinal!!!...

 

… necessidade de contarmos o que nos marcou, de mostrarmos a nossa emoções de quando mais jovens, exemplos ou… apontamentos sem a importância que lhes damos, quando as recordamos, escrevendo!!!... Em mim, sem ser novidade, sinto as recordações à flor da pele, tocam-me com insistência, não me largam, perseguem-me… tenho premente vontade de as libertar, de lhes dar rédea solta, de as deixar cavalgar por outras mentes, de as partilhar, por se acaso!!!...

 

… uma pequenina coisa actual logo me incita a fazê-lo, desenfreado, quase enlouquecido… ligo o PC, vou teclando com fúria tudo o que me ocorreu, ainda assim!!!... Espécie de reagente, numa reacção química qualquer, pretexto, acelerador, provocador, neste caso… o tal passeio ao campo, o encontro com o pedregulho!!!... Quantas lembranças da… minha infância!!!...

 

… in http://www.minhaterra.com.pt/template/frames.php?intNivelID=189&MINHA-TERRA=a6783ef9572e061bdf37861168056844

 

… nascido e criado em Fronteira, vila linda e formosa a um saltinho da Ribeira Grande, logo após a Senhora da Vila Velha, padroeira com igreja a condizer num alto onde se posta, sobranceira, visão de sonho, paisagem que se grava na mente de quem vê e aprecia o traçado serpenteado da ribeira, cá em baixo!!!... Conhecia-a bem em miúdo, todos os seus “pegos”, os seus peixes e cágados, sombras e areais… piscina natural dos fronteirenses, fim de muitos que se afogaram!!!... Quantas más disposições dos meus pais, algumas caras feias e ameaças, perseguições!!!… Muitas vezes me foram buscar no meio das minhas natações!!!... Tinham receio que me acontecesse o que a muitos aconteceu, por altura dos calorosos Verões alentejanos!!!...

 

… brincava sobre pedregulhos enormes situados numa das margens da dita, “furava” por baixo deles, ficava intrigado e não ligava a alguns gatafunhos gravados nas pedras, não associava, não tinha conhecimento… tão pouco!!!...

 

 

… “estas terras de Fronteira registam ocupação humana desde tempos ancestrais. De entre os monumentos arqueológicos aqui inventariados, destacam-se as cerca de 30 antas, da maior parte das quais restam apenas vestígios. Mas as existentes são bons exemplos de uma cultura megalítica bem arreigada. Basta ver, por exemplo, as antas da serra das Penas, da Eira, da Estacaria, do Ferragial do Monte e da Malhada dos Porcos. Na Herdade dos Pintos há um interessante grupo de rochas gravadas. Na Herdade de Pena Roia existe um surpreendente conjunto rochoso revestido a estuque pintado, com representações de rostos e decoração vegetal. Julga-se serem vestígios de culto dedicado a divindades aquáticas. Na Herdade dos Sete Vales, a montante da Ribeira Grande, escavadas num afloramento xistoso, estão sepulturas consideradas da Baixa Idade Média.”

 

 

… velha Ribeira Grande de Fronteira, tão diferente da de antigamente… com restaurante na praia fluvial, relvados cuidados, maior segurança, com as antas, dólmenes e menires de então, restos dos moinhos que tinha, junção com a ribeira de Vide, ostentando antiquíssima ponte romana, também!!!... Digna de visita e… de estudo, toda aquela região que foi minha, quando lá nasci e vivi, simples memória de agora!!!... Tempos!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 14:08
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 18 de Março de 2007

... coisas políticas... dos fóruns!!!...

… não te quero influenciar __________… nem muito mais, nem muito menos, vou tentar esclarecer a minha posição, longe de partidos, sem ter nada que ver com políticos ou políticas, fazendo-as, é evidente!!!... Quando nos preocupamos com a sociedade em que estamos inseridos, quando a tentamos modificar, quando lhe damos voz através de escritas nossas, de pensamentos que temos… estamos fazendo política, também!!!... Bem o sabes, todos o reconhecem… simples e normal, despretencioso, assim o penso!!!...

 

… não tenho veia de grande educador, longe de mim… sem bases suficientes que me poderiam, porventura, alçar a tal posição, sem vontade disso!!!... Tipo com alguns anos de vida, com muita experiência vista e vivida, utópico e esperançoso por um Mundo melhor, por uma vida mais normal para o País onde nasci… que adoro!!!...

 

… até agora temos sido governados ou… desgovernados, pelos partidos que se alternam, corremos o risco de voltar ao mesmo, reiniciar o baile, contradança que já chateia, sem graça nenhuma, de voltar a ver no Poleiro figuras de antigamente, alaranjadas e de má catadura, sem objectivos definidos, imprecisos no bem-estar das populações, sabendo o que pretendem, como sempre… posição e vidinha de estadão, simplesmente!!!...

 

… os partidos minoritários, com esta indefinição que se adivinha, com este descontentamento que se generaliza… vão ganhando alguns trunfos, mais uns votitos sem expressão alguma, não deixando de ser o que são, partidos minoritários que não constituem alternativa de PODER, por enquanto!!!...

 

… antes que voltemos ao mesmo, ao descalabro anterior… direitíssima na governação, embora os socialistas estejam a governar como se fossem, lambendo botas e traseiros aos senhores do capital, carregando na classe média e nos que vegetam, sempre serão uma escolha fácil de manobrar, desde que pressionada por forças adequadas!!!...

 

… não me sinto ligado por laços fraternos ao Sócrates ou aos ministros que o secundam, aos elementos de proa do partido que não governa ao centro-esquerda, como apregoa o primeiro dos ministros e seu secretário-geral, critico-os e tento que entrem na razão… apesar dos cometimentos passados, não esqueço a perversão da Casa Pia, entre outras COISAS bem graves, por sinal, pretendo obstaculizar a entrada triunfal de incompetentes e imprestáveis da família do P.P., chagas profundas e danosas nos deixaram… bem piores do que estas que se estão fazendo!!!...

 

… se me leres com atenção… ficarás ciente que, perante estes argumentos meus, tento recriar uma governação que vai transvergindo, puxando-a ao bom caminho, de mansinho!!!... Antes um passarinho inocente do que… um falcão sabido, pervertido e orientado no “tal” sentido de Estado!!!... Assim penso!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 14:10
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 17 de Março de 2007

... deparei com pedregulho... enorme!!!...

uma ida ao campo, no Alentejo… por esta altura, final de Inverno quase Primavera, calor espantoso, por vezes, preenche-nos de gozo, de satisfação, pelos verdes em quantidade, pelos campos coloridos com a suas flores que despontam, com matizes variados, pelos pássaros que volteiam e nos encantam com seus chilreios, pelos troncos seculares e retorcidos das oliveiras velhas, pelos cheiros que nos rodeiam, pelos sons dos chocalhos que se ouvem de alguns animais que pastam nas redondezas, pelo silêncio que, num contraste repentino, nos invade, nos faz pensar, recolher em nós, pensar no que fomos, no que somos!!!... Cansativo pelo desnivelado das terras, pela falta de sombras, campinas a perder de vista, poucos montados, terrenos de cultivo, celeiro de Portugal diziam nos tempos do ditador… cevada, aveia e trigo, um que outro olival!!!... As azinheiras e os sobreiros foram, em grande parte, substituídos pelos eucaliptos e pinheiros, árvores de desenvolvimento rápido, melhor negócio… estupidez tão grande ou mais do que a dos cereais!!!... Agora, terras votadas ao abandono, vendidas aos espanhóis, destinadas a pastos vedados… onde se alimentam animais de grande porte, vacas, cavalos e bois, alguns rebanhos de ovelhas, porcos pretos, sem pastor, porqueiro ou vaqueiro, quase desolação!!!... Não dá para entender!!!...

 

… enfim, depois duns passos, tão naturalmente… deparei com um monumento megalítico já conhecido, uma anta ou dólmene, arte funerária dum passado longínquo, pedras enormes que nos espantam pela grandiosidade, pela imensa vontade de prolongar a memória através dos séculos de algum ou alguns indivíduos de extracto superior, depois de mortos porque… nestas coisas da vida e da morte, mesmo a milhares de anos atrás, quatro ou cinco mil anos a.c. ou mais, período neolítico no final, já se fazia distinção entre os mais e os menos, pois então!!!... Fase da pedra lascada, dos medos tremendos, da ignorância total, ainda… rabiscos confusos, imagens de bichos no interior das covas, sons guturais que se foram transformando em comunicação numa fala difusa!!!... Busca de bagas e de frutos, descobertas ocasionais, avanços lentos mas seguros, o fogo que manobravam desde há mais de 500 000 anos, a roda que os movimentou nesta idade mais próxima que menciono, a do neolítico, 3500 anos a.c., a necessidade de se tornarem sedentários pelos animais que domesticaram, pelo pastoreio que iniciaram, pelas plantas que aprenderam a cultivar, pelo armazenamento das mesmas em épocas de escassez, continuando a viver em buracos de pedra, uma que outra casa rudimentar, divisão única, materiais existentes, ali à mão, pedras que se amontoavam, necessidade de defesa, aproximação uns dos outros, agregados mais numerosos apelidados de castros ou citânias!!!... Os Deuses eram muitos, os medos inumeráveis, a morte um mistério, a fecundação… um meio de subsistirem, de serem mais e fortes, a vida reduzida por animais desconformes, por confrontos com outros grupos, por carências ou calamidades que surgiam!!!...

 

… mais adiante, no meu passeio… pedra gigante e erecta, não anta ou dólmene, não homenagem aos mortos, espécie de falo portentoso, menir lhe chamam os arqueólogos, preito e gratidão aos Deuses da fertilidade, da fecundação, dependência e vontade de prosseguirem na sua caminhada naquela grande escuridão, entre gestos e quebras e requebros do corpo… lá se iam entendendo, fazendo destrinça entre os mais e os menos, consoante as valias, alguns teres e haveres, quando agregados, que já acumulavam sobras para… repastos, excessos que tinham nos animais, nos cereais!!!...

 

… em busca de melhor sorte, de terras mais produtivas, de melhores condições de vida… por cá se instalaram, aglutinaram com os que estavam, vindos do centro da velha Europa, os Celtas que recordamos, com os seus Deuses, com os seus mitos, com as suas lendas, com os seus hábitos, modos de vida, aguerridos, guerreiros às vezes… protegendo tudo de seu… e fez-se luz, metal que se descobre, idade do Bronze, sons que se percebem, sinais que se gravam nas pedras, nos tijolos, nas peles dos animais, sociedade mais perfeita… maior entendimento, história a sério, com registo e tudo!!!... Desta para a do Ferro… um saltinho duma cobra, tribos organizadas, chefias a sério, classes distintas, raças diferentes… ecos que nos chegam desses tempos recuados, que nos emocionam, nos fazem sonhar, Celtas e Iberos, Celtiberos… nos Montes Hermínios os Lusitanos, saltos tamanhos… perdão vos peço amigos arqueólogos, historiadores de nomeada, investigadores a preceito, por esta irreverência minha, recordações que me assolam quando deparo com estas enormidades!!!...

 

“… do alto destas pirâmides, quarenta séculos vos contemplam” exclamava um naco de gente, Imperador Francês na altura, Napoleão Bonaparte de seu nome… aos seus soldados, embasbacado com as construções de Gizé, templos para  e dos mortos, para Faraós, somente!!!... Para além da morte… sempre assim foi desde a antiguidade muito remota, pré-história dos megalíticos, antas, dólmenes e menires espalhados pela Península Ibérica, por  Stonehenge, na Inglaterra, também!!!...”

 

“A Idade do Ferro se refere ao período em que ocorreu a metalurgia do ferro. Este metal é superior ao bronze em relação à dureza e abundância de jazidas A Idade do Ferro vem caracterizada pela utilização do ferro como metal, utilização importada do Oriente através da emigração de tribos indoeuropéias (celtas), que a partir de 1.200 a.C. começaram a chegar a Europa Ocidental, e o seu período alcança até a época romana e na Escandinávia até a época dos vikings (em torno do ano 1.000 d.C).”

 

… por cá nos fomos arranjando, por outros lados se foram espalhando, desenvolvendo civilizações mais aperfeiçoadas… ao longo da larga bacia do Mediterrâneo, lembramos os Gregos, os Romanos, os Egípcios, os Fenícios, os Cartagineses, os Assírios, os Caldeus, os Eritreus, os Sumérios… terras de Babilónia, Pátria da palavra escrita, vilmente destruída por petróleo e afins, no século que vivemos, o do “conhecimento”!!!...

 

… nas outras partes do Mundo, bem afastadas, desconhecidas… civilizações ricas, deslumbrantes, se iam desenvolvendo, também!!!...

 

… por ganâncias, por impérios que se não contêm, que se alargam, se expandem… bateram-nos à porta, tentaram, tanto insistiram que venceram, por cá se instalaram… tempos de romanização, senhores que se não integraram, dominaram!!!... “Todos os caminhos… iam dar a Roma”… diziam, até que os povos do norte, não reconhecidos, chamados de bárbaros… acabaram por destruir aquele Império!!!... Foi a vez dos Vândalos, Alanos e Suevos… seguidos dos Godos que se dividiram em Ostrogodos e Visigodos que nos trouxeram a religião Cristã por altura do rei Recaredo!!!... Em convulsão constante, sujeitos estivemos sempre, tal como estamos agora, com a estória da Iberização… do norte de África, os Árabes tomaram quase toda a Península, ficámos sujeitos às Astúrias, somente!!!... Por aí, até à reconquista… à fundação, à monarquia absoluta, tantos pormenores, tantos altos e baixos, primeira República, Estado Novo com Ditadura, Revolução dos Cravos, segunda República… desde há trinta e poucos anitos!!!...

 

… ena pá, quantos saltos dou… tudo isto por causa dum pedregulho enorme com que deparei, num passeio que dei aqui à porta, campos limítrofes de Elvas, claro!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 14:41
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Março de 2007

... pequeno percalço em... Sevilha!!!...

… era para ser uma saidinha de fim-de-semana normal, uma voltinha de carro aqui ao pé, até Sevilha, capital andaluza… recordar outras que fiz, respirar aquele ar, aquela alegria de viver, saborear as tapas, experimentar temperaturas mais elevadas, lavar os olhos nas águas do Guadalquivir, visitar templos, percorrer avenidas, ouvir uns sapateados com acordes de guitarra flamenga, bailados apropriados, passar ao lado da Maestranza, praça de toiros maior da cidade, não assistir… porque não concordo com tal actividade bárbara e sem sentido, não gosto, nunca gostei!!!... Há quem goste!!!...

... esta, a intenção primeira… alterada, pelas circunstâncias!!!...

… partimos cedo de Elvas, o tempo estava limpo e agradável, percorremos estrada conhecida de há muito, em automóvel próprio!!!... Casal que comunga de pensares idênticos quanto a passeios… sentimo-nos bem, tal como dantes!!!... A meio da manhã, num “pueblo” (aldeia)… parámos para um segundo pequeno-almoço!!!... Ia sendo tempo de aliviar incómodos estomacais... o apetite batia à porta!!!... Fizemo-lo, com satisfação!!!...

… retomámos a viagem, só parámos na cidade “más hermosa” (formosa), “la más grande” adorada por quem assim se pronuncia, quando a menciona... tal o amor intenso que os Sevilhanos têm pela sua cidade!!!... Ainda mais amada na Semana Santa que se aproxima, mistura intensa de religiosidade, de paganismo, de folclore, louvores cantados e bailados cerca da catedral, das capelas, das igrejas, adoração pela Santa Maior de todas, a Macarena!!!... Elevação da fé colectiva dum povo na sua Giralda, catedral-monumento erguida sobre mesquita antiga da qual resta ainda o minarete, de sublime beleza e postura, junto do Alcazar resíduos dos ocupantes árabes que, por lá permaneceram ao longo de oitocentos anos, por Córdova e Granada também, no reino da Al Andalus, nome que os muçulmanos davam à Ibéria de agora!!!... Ali ao pé, com ruelas encantadoras, o bairro mais castiço e puro daquela urbanidade, “la barriada (bairro) de Santa Cruz” com os seus inumeráveis restaurantes, com as suas esplanadas convidativas nas “plazas” (praças) que se vão sucedendo no final da estreiteza das suas “calles” (ruas) labirínticas!!!... Simples acesso a peões, isenção de barulhos, de poluições automobilísticas, jardins repletos de laranjeiras, sombras convidativas, agradáveis… face ao calor que já se ia sentindo!!!...

… procurámos hotel, pertinho do Parque Maria Luísa!!!… Meliá fora de época, preço razoável, boas condições!!!... Deixámos a bagagem e, utilizando a viatura… fomos percorrendo a cidade, com o intuito de chegarmos à igreja da Macarena!!!...

… andávamos nisso quando, numa avenida que ladeia o rio, a velocidade normal… entre os cinquenta e os sessenta quilómetros por hora, por inadvertência minha, por lomba bem pronunciada, ouvimos um baque surdo, queda do carro, disparado!!!… Quando nos apercebemos da referida, comentámos, seguimos, como se nada!!!... Depois de voltas e reviravoltas lá conseguimos encontrar o templo que se encontrava fechado!!!...

... horas de almoço… procurámos um restaurante repimpámo-nos com uns solomillos (… a melhor parte da carne de qualquer vítima que se imola e nos serve de… repasto!!!...) esquisitos, de cerdo (porco) e de buey, (boi) com um tinto de Rioja, reserva fina!!!... Tudo bem, sem complicações de maior!!!...

… saímos, dirigimo-nos à igreja, rica de capelas cobertas com talhas douradas, capela maior com a Santa mais adorada sevilhana… um mimo!!!... Tínhamos deixado o carro pertinho do Parlamento da região de Andaluzia, a um salto!!!... Retomámos o caminho, eis senão quando… no painel do automóvel, uma luz de aviso se acende, relacionada com a temperatura!!!... Intrigado, verifiquei a água do radiador no recipiente de expansão!!!... Completamente vazio!!!... Estacionei e, num café… comprei umas garrafas de água!!!... Atestei, respirei mais aliviado, continuei!!!... Passado algum tempo, a luzinha acesa… no meio dum trânsito de medo!!!... Por trancos e barrancos, atalhei, consegui estacionar ao lado do Hotel!!!... Entrei em contacto com a assistência em viagem e… começaram os meus penares!!!...

… não vou entrar em detalhes, não vale a pena recordar maus bocados… o carro foi rebocado, ficámos o resto de sábado e o domingo seguinte, não tão satisfeitos, depois daquele contratempo mas… coisas da vida!!!... Acontecem!!!...

... diminuem-nos mais do que somos, quando nos precatamos que, embora paguemos, não somos tratados como devíamos!!!... Enfim!!!... Reduzidos, tratados como mercadoria barata que se envia, que se traz de regangamalho (… vir de escantilhão, dá no mesmo!!!...) a bordo dum carro alugado ao quilómetro, duns táxis, misturados com umas telefonadelas, ainda assim!!!...

… no domingo, depois de bem comidos… entrámos num barco de excursões fluviais, admirámos novamente o bairro de Triana, dos pescadores e dos cantadores, passámos por baixo das várias pontes do Bétis, agora conhecido como Guadalquivir, o rio maior… embevecemos com os milhares de sevilhanos que se deliciavam com os raios solares em verdes margens deitados, passeando, fazendo exercícios vários, correndo ou pedalando em bicicletas, exercitando braços e pernas em barcos movidos a remos, nas pirogas ou canoas que vogavam nas mansas águas do rio!!!... Olhámos e recordámos os edifícios da Expo de 1992, na ilha da Cartuxa!!!... Como o tempo passa!!!...

… já de regresso ao hotel, ainda nos deliciámos com a doce visão da torre do ouro, agora museu, percorremos a praça de Espanha, ampla e imponente, remanescente doutra era que se conserva bela, com os seus coches e cavalos, com um turismo de meter medo, com os seus escritórios estatais, com os seus emigrantes à volta dos papéis, antigos donos que regressam em busca de vida, de trabalho!!!...

… terra de cristãos, de mouros e judeus, de paios e de ciganos, de bailadores, cantadores, toureiros e… visitantes, na sua diversidade, realidade que me assombra mais e mais, recanto de encanto!!!... Que viva, Sevilha e… la Macarena, tambien!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 08:40
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 8 de Março de 2007

... parece que foi ontem!!!... Chiça!!!...

Cavaco completa sexta-feira um ano de mandato em Belém
Cavaco Silva conclui sexta-feira um ano de mandato como Presidente da República durante o qual tentou equilibrar a prometida «cooperação estratégica» e a vigilância ao Governo socialista, entre críticas e elogios dos partidos que o apoiaram nas presidenciais.

Ao fim da tarde de 9 de Março de 2006, dia da investidura na Assembleia da República, Cavaco Silva, acompanhado pela família, mulher e filhos, entrou no Palácio de Belém como o primeiro Presidente do centro-direita em Portugal, 32 anos depois da Revolução dos Cravos.

Além da subida até ao Pátio dos Bichos, do Palácio de Belém, Cavaco, ex-líder do PSD e primeiro-ministro durante dez anos (1985-1995), tinha também pel a frente o desafio de uma coabitação inédita, com um chefe de Governo socialista, José Sócrates - uma experiência, até agora, sem incidentes.

As linhas-mestras dessa «cooperação estratégica» com Sócrates, que em 2005 pusera o PS a governar com maioria absoluta, ficaram vincadas logo no discurso de posse.

Cavaco garantiu então uma «cooperação leal e frutuosa» ao executivo, que prometeu acompanhar «com exigência», e apelou a «consensos alargados», que passam pelo crescimento da economia e pela qualificação dos recursos humanos.

Empenhado na promoção de uma «estabilidade dinâmica no sistema político democrático», o Presidente deixou, porém, o aviso de que não fará uma leitura passiva dos seus poderes ao afirmar que «estabilidade não é um valor em si».

Logo na posse, José Sócrates anotou que o discurso presidencial alinhava com a «agenda política do Governo».

Os primeiros dias passam sem surpresas em Belém, mas algumas diferenças surgem logo no primeiro encontro com o chefe do Governo: o Presidente trocou os sofás por uma mesa de trabalho, onde exibe um caderno azul. Os encontros semanais são longos (às vezes por mais de duas horas) e rodeados de total secretismo.

É, afinal, o espírito de uma «cooperação silenciosa para o exterior», como já a definiu Cavaco numa entrevista.

Discreto no dia-a-dia em Belém, o Presidente volta a surpreender os comentadores na estreia da sessão evocativa do 32º aniversário da Revolução do 25 d e Abril de 1974 com um discurso à esquerda, lançando as bases para as suas «pres idências abertas» - os Roteiros da Inclusão.

Frente aos deputados, e sem cravo vermelho, pede um «compromisso cívico alargado» para cumprir um dos desígnios da Revolução - «a aspiração de maior justiça social».

Dias depois, arranca, em Alcoutim, no Algarve, com o seu primeiro Roteiro da Inclusão, dedicado às regiões periféricas, à exclusão e ao envelhecimento, que o levou às terras do interior do Alentejo e da Beira Baixa.

Sem causar grandes beliscadelas ao Governo, faz também um roteiro centrado em Lisboa e evita fazer comparações com a presidência aberta do ex-Presidente Mário Soares que, nos anos 90, expusera os problemas de pobreza na região da c apital quando Cavaco Silva era primeiro-ministro.

Passados 13 anos, Cavaco insiste que é a favor de uma «cooperação frutuosa», sublinhando que é Presidente para «resolver problemas» e não para «criar problemas a ninguém».

«Não tenho nenhuma vocação para força de bloqueio. Acho que os portugueses não esperam isso de um Presidente da República», afirmou o ex-líder do PSD, que chegou a apelidar o antigo Presidente Mário Soares de «força de bloqueio» nos tempos de coabitação difícil.

Mas nem tudo são rosas nas relações entre Belém e São Bento - o primeiro e, até agora único, veto político foi à Lei da Paridade, uma bandeira de campanha dos socialistas, a 02 de Junho de 2006.

Cavaco Silva «devolve» o diploma ao Parlamento por considerar excessiva a punição de excluir das eleições as listas que não tenham a quota estipulada de mulheres, o PS conforma-se e altera a lei.

O Verão é de acalmia e o Outono é que traz alguma agitação, logo com os partidos que no início do ano tinham dado o apoio à candidatura de Cavaco Silva a Belém - PSD e CDS-PP.

Em entrevista à SIC, em Novembro, o elogio ao «espírito reformista» do Governo de José Sócrates é recebido com silêncio e críticas mais ou menos veladas pelo PSD de Marques Mendes que, de visita ao Brasil, critica as políticas enaltecidas pelo Presidente no outro lado do Atlântico, em Lisboa.

Se um vice-presidente da bancada do PSD, Agostinho Branquinho, chega a dizer que Cavaco «foi longe de mais nas loas ao Governo», no CDS-PP os críticos do líder atacam a excessiva colagem de Ribeiro e Castro ao discurso presidencial .

E foi preciso esperar pelo primeiro dia do ano de 2007 para voltar ouvir os elogios do PSD e do CDS-PP ao Presidente.

Cavaco Silva, que prometera acompanhar o Governo com «exigência», numa espécie de vigilância, traça o rumo e exige «resultados» ao Governo socialista de Sócrates na economia, educação e justiça.

Apesar dos avisos, no PS já há quem, como o líder da concelhia de Lisboa, Miguel Coelho, admita algo que, durante a campanha presidencial que ditou a d errota de Mário Soares, fundador do partido e ex-Presidente, seria impensável: o apoio à recandidatura de Cavaco Silva em 2011.

A confirmar-se o cenário dentro de quatro anos, a História repetir-se-ia, mas ao contrário. Em 1991, Cavaco Silva, então primeiro-ministro e líder do PSD, preferiu não lançar uma candidatura e apoiou a recandidatura presidencial do socialista Mário Soares.

Diário Digital / Lusa

08-03-2007 9:00:00

... bastante stressante, mesmo com muitos passeios, recreios, devaneios... sorrisinhos de treta, palmadinhas nas costas, algumas propostas, circuitos pelo País... aos que apelida de roteiros!!!... Com algumas medalhas, palavreados raros, indultos... também!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

 

 
publicado por sherpas às 14:29
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

... efervescências!!!...

 

… a palhaçada populista surgiu, num rompante… arrisca a sua instalação permanente, constante, absurda, coisinha pouca, como entretenimento para quem já pouco ri, sem paciência alguma nesta crise que nos rouba dinheiros, saúde, ensino, justiça… segurança, como praga que nos cai em cima, que nos machuca com teima, como toleima insensata, quase abstracta, insistente!!!... Faltava-nos este liberal da direita pura e dura, da Moderna, medalhado pelo belicista, admirador da guerra do Rumsfeld, adorador de luxos, de pendores, narcisista confesso, malabarista de palermóides insensatos, alguns catraios que berram contra abortos justificados, aplaudem toiros e mortes concertadas, considerando-as espectáculos tradicionais, aberrantes de… gratuitas, como imposição de loucos, exorbitâncias descabidas!!!...

 

… estamos feitos… além dos defeitos que nos assolam ainda temos de o aguentar, agora no activo, como se apresentou, feroz oposição a Sócrates, salvador messiânico, Sebastião ressuscitado… salvador providencial da Pátria que se afunda, destino cruel para todos nós, simples e desvalidos ocupantes deste recanto de desencanto, jardim fantasmagórico que se dilui no meio de brumas sujas e escuras que se adensam mais e mais!!!... Perspectivas ruins que o ente adormecido, ao longo de dois anos, após a sua intervenção imbuída de grande coragem, assim o afirma, tal como seus seguidores, discípulos… o julgam capaz de afastar o mau-olhado, este péssimo estado a que chegámos, sendo consequente, duma maneira honesta, com cânticos salvíticos, quiçá!!!...

 

… figura não seráfica, demoníaca, perversa… inversa aos bons procederes, o das mil caras com que se transfigura, quando tenta convencer, quando manda… depois de obtidos os poderes, como vimos na sua fugaz passagem por um Governo de brincar que se desfez, tal como se vai desfazendo o partido que criou, modificou, incendiou, usou como degrau para a sua ascensão… tenta usar, outra vez!!!...

 

… tal Rocky Balboa retardado, sem músculos pujantes por hormonas injectadas… com neurónios em efervescência, visões de passado bem refastelado em residência de luxo, com gastos enormes e disparatados em helicópteros, submarinos, armamentos actualizados… blindados, volta a atacar com profundo sentido de Estado, adquirido por experiência de ainda há pouco, como um louco!!!... Os tempos mudaram, são outros… pena tenho que ainda se encontrem “bajancas” que se vão em cantigas, pobres ou ricas!!!... Enfim!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 14:00
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 11 seguidores

.pesquisar

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. ... acabadinha de... cheg...

. ... sabores!!!...

. ... experimentação!!!...

. ... PIRATAS!!!...

. ... descalçar... as BOTAS...

. ... pérolas!!!...

. ... bocejo!!!...

. ... reprimenda!!!...

. ... heróis e... cavaleiro...

. ... se possível fosse!!!....

.arquivos

. Novembro 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.favoritos

. ... antes que... a vida, ...

.links

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds