Terça-feira, 30 de Maio de 2017

... sabores!!!...

... constato que, pela idade,

altero meus hábitos,

recordo, com saudade,

óptimo sabor,

pedaço da minha região,

olor,

saboreado,

quando bebido,

bem mastigado,

quando comido,

prato esquisito,

 

 

sem empanturramento,

guloso,

quando o recordo,

simples alimento,

embevecido quando,

nele, m´adentro,

comendo,

 

como combustível para automóvel,

curta viagem,

quilometragem avançada,

fraco conhecimento de geriatria,

experiência própria,

cautela,

saude mais fraca,

 

tornei-me bom conhecedor

de qualquer tipo de fruta,

nacional ou tropical,

madura, colorida

legume,

hortaliça,

 

 

sopas variadas,

cheirosas,

insonsas,

cuidados redobrados

com o sal,

 

facadinha esporádica,

sardinha apetitosa,

caracol com bejeca,

bacalhau dourado,

saborosa faneca...

 

dos meus pecados,

com entradas devidas,

sopinha de tomate

com figo maduro,

pede um “tinto”

bem curto,

bem bebido,

 

beldroegas mal amadas,

sopas de sonho

com requeijão d´ovelha,

bem degustadas,

 

 

de “toque” na orelha,

d´estalo,

piscar d´olho atrevido,

pede tinto,

também,

moderadamente bebido,

 

como sabem bem,

 

quando o rei faz anos,

casualmente,

homem não é de pau,

tradição da minha terra,

migas de carne de porco,

com todos,

 

de ficar louco,

 

 

pançada valente,

quando se sente,

quando se bebe,

abuso maior, conversa animada,

mais ingerida,

companhia que pede,

bebida,

 

sangue da terra,

um copito ou dois,

aquecimento repentino,

algum desatino,

 

quando me casei,

ignorante tão grande,

culinária mistério,

desiderato,

vazio... o prato,

 

não sabia “piscas” de nada,

depois... depois aprendi,

almoçarada passada,

jantarada mais curta,

colorida,

uma frutita,

uma empada,

 

 

quando avassalado pelo desejo,

tal como uma grávida,

junto ingredientes,

confecciono,

tão bem ou melhor

do que nos restaurantes,

 

melhor ou pior,

quando me ponho,

 

searas doirados de VERÃO,

planícies da minha infância,

tão diferentes,

reverdecidas,

não secas, pujantes,

produção,

 

sangue da terra,

queda da parra,

repara,

tão diferente,

coisa rara,

 

 

grande mole d´água,

aspersão,

no calor, agora tépido,

do meu torrão,

culturas várias,

experimentação,

 

campos a mato,

esparragueiras,

andanças, olho alerta,

mão que se apresta,

colhe,

no princípio do mês de Maio,

entusiasmo na busca,

embevecimento, no prato,

ajuda dum canivete,

molho que satisfaz,

 

entrega,

cortados em pedacinhos,

bem cozidos, arrecadados,

bem moídos,

passadinhos num fio d´azeite,

com um alhinho a condizer,

puro deleite,

numa mistela d´ovos,

esparragados,

 

acompanhamento divinal,

endeusamento de meus olhos,

milagre no palato,

extase,

sabor extra,

enlevo, quando recordo,

quando vejo,

quando como... com imenso prazer

 

gostos esquisitos,

no calor do fogão,

cozinha cheirosa

extravagante,

mais frugívoro,

leguminoso,

com laivos d´omnívoro frugal,

parcimônia que me faz

como sou,

 

metódico,

na cautela que me transformou,

sem barrigas cheias...

apetite com que te incendeias,

 

 

alguma carne branca,

peixívoro incondicional,

criação doméstica,

alimentada em condições,

varas,

rebanhos dos meus sonhos,

sem comezainas de medo,

pela idade, meu segredo,

petisco esporádico,

lembrança,

 

satisfação

tão gostosa,

tomei-lhe o gosto,

 

faço...

verdadeiros petiscos,

só vistos,

só comidos!!!... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 11:24
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 30 de Abril de 2017

... experimentação!!!...

... passando,

recreando vista, espírito,

aliviando penas,

desvalorizando,

vida curta, tão rápida,

fazendo caminho,

calcando,

pés assentes na terra,

ouço um grito...

 

 

... descortino origem,

constante arengar,

palavras entrecortadas,

quase falar,

gritando

irado,

dinheiros, comida,

sem objectivo preciso...

 

... queixume,

lamento,

quanto azedume,

conciso,

arrastamento

bem alto,

variando...

 

 

... braço gesticulante,

raiva, sentir,

imprecação,

negro futuro,

aberração,

provir...

 

... revolta que solta,

cabelo ao vento,

prédio perdido,

janela com varanda,

céu amplo, auditório ignoto,

sentimento esquecido,

sacrifício,

tão alto,

tão louco...

 

... alívio momentâneo,

dinheiro, comida,

família sofrida,

palavras, gritos

díspares,

constantes,

atitude duma vida...

 

... cabeça que sente,

desajuste,

incerteza,

triste crueza,

família que sofre,

boca que não come...

 

... carteira vazia,

resto que consome,

com eira,

à beira,

desespero,

infortúnio,

má sorte,

tão fraco,

mais forte...

 

 

... altissonante,

ali, na varanda,

indo eu... passando...

 

... pequeno DEUS na TERRA,

imposição que maltrata,

líderança que s´aferra,

desconhecido precipício

que nos enterra,

enterra...

 

... desesperança,

desilusão, início,

desvario, insubmissão...

 

... vítima sobre vítima,

suicídio provocado,

globalização,

tresloucado,

provocação...

 

 

sempre assim foi,

massa informe que se sujeita,

perante o mais além,

quando berra,

desconforme,

se rebela,

nesta triste novela...

 

... noutra maior,

OMNIPOTENTE,

escritura que nos revela,

sacrifício maior,

ente mais querido,

crente de muita FÉ,

GÉNESIS,

como formação,

religião,

experimentação...

 

ABRAÃO,

sacrifício,

povo escolhido, fantasia,

quase xenofobia,

no alto do monte,

estupefacto,

submisso,

sem grito,

preparado...

 

... ISAQUE imolado,

logo,

logo refreado,

como prova,

sujeição...

 

 

... calcando pobre gente,

prepotente,

religião...

 

... impositório,

DEUS cruel, desconfiado,

perante um crente

submisso,

próprio filho...

 

... um senão,

dinheiro, comida,

revolta,

descrente,

naquela janela com sacada,

revoltada,

bradada aos céus,

voz irada,

não conformada,

tresloucada!!!... Sherpas!!!...

 

 

publicado por sherpas às 07:07
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 12 de Abril de 2017

... PIRATAS!!!...

... por falas enganosas, artifícios,

mediante aventureirismos,

sacrifícios,

fomos, por terras estranhas,

espalhando

nossas manhas,

crenças, imposições,

quebrando regra local,

tradição,

conhecendo o... conhecido,

colocando pedregulho enorme no chão,

fazendo nosso, o do novo amigo,

mediante desmesurada apropriação,

 

 

chegando,

com algum receio,

assentando nossos arraiais,

com algum anseio,

usando arte da navegação,

insinuando, negociando,

apropriando,

fomos mais além,

muito mais,

 

demos o que já existia,

mundos novos ao já conhecido,

quebrando teorias descabidas,

destroçando vidas sobre vidas,

nosso encanto,

nosso destino,

 

época de grandes cumulações,

produtos novos,

riquezas tais,

inventivas, ostentações,

ilusões,

 

centro de tudo que reluz

perante EUROPA mísera,

carente,

de todos, os primeiros,

como gente...

 

 

preciosidades eram tantas,

sorriso com que os encantas,

sedas esquisitas,

especiarias,

espalhando sorrisos,

alegrias,

 

convencimento,

maus bocados

ouro, quantidade desmedida,

passámos de míseros a abastados,

trazendo de todos os lados,

 

melhorando, bastante,

a nossa vida,

magníficos, magnânimos,

preciosos,

soberanos do nosso reino,

novos palácios,

construção,

monumentos d´espantar,

catedrais, louvores na crença,

subjugação, cortejo real,

mostrando coisas novas ao MUNDO,

tudo bem,

quase mal,

 

 

avidez de parceiro do lado,

navegação para outro lado,

católicos,

mesma pretensão,

mares desconhecidos, outras paragens,

nobreza com tantos pajens,

brilha o SOL,

ridente futuro,

inveja que s´agudiza,

cópia, perseguição,

destino,

época do desatino,

 

vieram do NORTE,

como sempre,

surgiram de densa neblina,

num repente,

pirataria autorizada,

bem quista por qualquer monarca,

tempo de mudança,

repentina,

 

contradança que s´afina,

turba fera, mui forte,

assente na ganância,

escassez d´origem,

tudo pilharam, com jactância,

perseguindo, trucidando,

roubando...

 

 

débeis na força física,

tão grandes na imagética,

convencimento,

negociata,

abençoado, como se fica,

logo após oferenda régia,

 

cobiçados,

tão pequenos,

conhecimento,

navegantes,

com outras gentes, integrantes,

 

lá se fizeram aliados,

depois de bem casados,

invadidos,

saqueados,

terras que nunca foram nossas,

haveres mais que roubados,

alma grande,

pobre gleba,

de nossa, deixou de ser,

que mais poderia acontecer,

 

 

por mares,

tão cobiçados,

piratas, pirataria,

caravelas de triste fim,

feros,

brutais arremetentes,

outrossim, outrossim,

na terra que se nos escapou,

aliado que...

também roubou,

 

no engenho, na arte

de bem navegar, toda a vela,

ei-la que desaparece,

luta alheia, tão cruenta,

brilho que não aquece,

soberano que não aguenta,

fuga premeditada,

divisão, desdita,

abandonada,

 

cantinho de triste canto,

PÁTRIA do desamparo,

local do ludibrio, do engano,

foi viçosa,

já esmorece,

 

embora o sol descanse,

quando a labuta termina,

bem pertinho... no mar,

quanta das tuas águas... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 07:12
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 31 de Março de 2017

... descalçar... as BOTAS!!!...

... desde sempre

s´usaram

botas de cano alto,

pessoal não apeado,

oficias bem montados,

cavaleiros endinheirados,

de montaria,

 

protecção de pernas,

como agora,

calças,

fantasia,

tomando, como desporto,

sua inclinação,

fardamenta a condizer,

parada, gala,

na hora,

recepção,

 

 

grande gosto,

um ter de ser,

sacrifício,

com os cavalos,

obra-prima estilizada

equitação,

obstáculos,

luta encarniçada,

vencedor,

seu pendor,

 

difícil apetrecho,

complemento,

na entrada, na saída,

calçar, descalçar,

um feito,

 

 

trabalheira incomensurável,

respiração d´alívio,

quando se conseguia,

 

lustrosa,

um desafio,

tão elegante,

peça nova,

admirável,

mais custosa,

no descalçar,

 

tanto nos homens,

como nas mulheres,

determinada ocasião,

desporto,

celebração,

 

estação d´invernia,

mais conchego,

apontamento,

galgando dificuldade,

cremalheira,

abotoadura,

longo cordão entrelaçado,

tão cruzado,

tão cruzado,

 

 

quanto,

custoso cuidado,

 

botas com polainas,

adaptações,

mais fáceis de manejar,

tão lustrosas,

elegantes,

 

não trabalhosas,

dando-lhe ar,

cano longo,

bota ao alto,

moda, quão formosas,

 

apetecíveis no feminino,

desfilando,

de montaria,

militar,

cavalgando,

dia de desfile, honraria,

 

 

de desporto,

com muito gosto,

saltando obstáculos,

correndo,

no hipódromo,

desabridos ao vento,

acontecimento,

 

não há bela sem... senão,

ínfima excepção,

quando se gosta,

se coloca, se posta,

 

bota ou... não bota,

enfoca,

faz pensar,

descalçar a dita,

suor, lágrima,

 

comparando,

desfilando,

cavalgando,

 

deslizando

em passarelle,

 

 

quase aforismo,

máxima,

quando se compara situação,

dificuldade que se vence,

entre objecto de cano alto,

qualquer recesso,

mau bocado,

na hora do conseguimento,

amplo sucesso,

 

claro,

logo após tanto trabalho,

calçar, descalçar a bota,

cambalhota,

reviravolta,

 

usança, no dizer,

hoje... a muito custo,

já descalcei um bom par de botas,

das tais,

quando no lombo dos animais,

 

cerimónia com salamaleques,

recebimento d´empertigados,

bem fardados,

 

em parada,

 

 

embelezamento,

finura,

naquela doce criatura,

que tudo atura,

sacrifica,

quando bem lhe fica,

 

elegantérrima,

noutro espaço,

noutra esfera,

sonhos voluptuosos,

beleza efémera,

pézinhos formosos,

sacrifício maior,

mal menor!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

publicado por sherpas às 18:58
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Março de 2017

... pérolas!!!...

... já fui gafanhoto saltitante,

ágil, pequenino, mui curioso,

na individualidade que tanto prezo,

dando pulo estonteante,

poisando em espaço formoso,

língua diferente, gentes boas,

entoando preceitos,

sem loas,

 

vida convidativa,

hospitaleira,

tão pertinho, à minha beira,

nunca fui parte de multidão,

enraivecida,

escuridão,

 

 

nem em tempos bíblicos,

quando praga que tudo devora,

castigo d´OMNIPOTENTE,

martirizando tanta gente,

reduzindo alimentação,

por protecção,

libertação,

 

em TEMPUS d´ABRAÃO,

povo escolhido,

quão idílico,

quando ora, quando lembra,

em busca de recanto prometido,

 

não,

nunca fui maldição,

 

embora gafanhoto ágil,

capaz,

protegendo individualidade,

mesmo que, em recordação,

disso,

nunca seria rapace,

comendo o que,

a outros pertence,

numa atitude, num tanto faz,

incapaz,

 

 

... fui formiguinha pequenina,

cirandando em casca de noz,

em objectos tão diversos,

mobilidade,

quando não, a pé,

em busca de maravilha,

por uma questão de fé,

 

indo por terra,

indo por mar,

povoados d´encantar,

belezas de perder a voz,

tanto aqui, como ali,

disseminadas,

quase milagre,

tanto espanto eu senti,

 

quando visitei,

quando vi,

ilhas que conheci,

tão pertinho

ou distantes,

autênticas pérolas

fascinantes,

 

 

distribuídas,

por um acaso,

relicário, lá no OLIMPO,

DEUSA descuidada,

acidente,

como acontece a tanta gente,

 

mais vulgar,

comezinha,

saídas d´arca mágica,

enorme,

quando encontrão repentino,

num advir,

as fez cair,

por aí,

 

rolando por montes, vales,

desertos incomensuráveis,

saltitantes,

como gafanhotos,

paragens, sítios ignotos,

charcos diversos,

profundíssimos,

buscando locais,

seus destinos,

 

 

logo se posicionaram

em várias partes do GLOBO,

ponto escolhido, sítio morno,

águas transparentes,

plácidas ou ruidosas,

consoante ventos, marés,

moldura que as enfeitam,

oceanos a seus pés,

 

como tumbas

inqualificáveis,

dois irmãos, bem ligados,

cordão umbilical,

imensidão, mais normal,

tantos jardins prostrados,

preciosidades q´eu adoro,

sonhos que fazem sonhar,

PARAÍSOS d´encantar,

tanta água, tanto MAR,

 

 

esmeralda, rubi, diamante,

pérola radiante, luxuriosa,

quanto t´ocorre, viandante,

perante tais belezuras,

carreirinhos sinuosos,

lá no OLIMPO, nas alturas,

grato pelas dádivas,

descuido,

relicário secreto, fortuito,

DEUSA tão prendada que foste,

alguma coisa nos trouxe,

pessoas, tão ávidas,

formigueiro, doce remanso,

meu poiso,

quando descanso,

 

vereda talhada a preceito,

casario,

vista formosa,

precipício que nos surge,

arriba q´acaba num ápice,

sem surpresa,

nada fácil,

 

 

sinto-me formiguinha afanosa,

espaço escasso,

tanto jeito,

aproveitamento do que nos dá,

NATUREZA fértil,

maná,

SOL que nos brinda,

aquece,

arrepio de quem estremece,

quando venta,

quando arrefece,

fúria, zanga, por vezes,

oh DEUSES... oh DEUSES,

 

 

sinto-me libelinha,

quando pousada numa flor,

numa folha de nenúfar,

num lago de águas paradas,

d´espantar,

imensa flor, lindas pétalas,

d´encantar,

cores apetitosas, como elas,

tão leve, maravilhado,

como ela,

nesta ilha, naquela ilha...

 

... sinto-me uma libelinha!!!... Sherpas!!!... 

 

publicado por sherpas às 09:21
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2017

... bocejo!!!...

... ampla plateia,

orador que se posta,

arenga,

gesticulando,

bem tenta,

recreia,

faz graça que gosta,

 

não cativa,

dormitando,

muitos, em meu redor,

por decoro, compostura,

alguma finura,

gesto disfarçado,

não evito um bocejo,

ensejo,

 

 

gerem as nossas vidas,

favoráveis,

desfavoráveis,

boas, nada louváveis,

gestos, atitudes,

exemplos,

diminutos,

relevâncias,

certos momentos,

circunstâncias,

 

gentes com quem lidas,

que t´engrandecem,

t´empequenecem,

consoante aceitação,

não querença,

rejeição,

 

caminho pensado a preceito,

concreto,

dono do meu destino,

realidade,

na aprendizagem,

no ensino,

não creio

na inevitabilidade,

 

 

um ter de ser,

mentira,

inverdade,

próprio de quem é amorfo,

jeito sombrio,

calcando insonso,

quando escondido

sob vontade

dum hipócrita

desmedido,

 

desconfio,

 

olho em redor,

perspicaz,

noto,

seja onde for,

pequeno gesto,

d´amor,

d´afecto,

sentimento predilecto,

 

 

displicente,

disfarçado,

recalque,

ódio

de certa gente

me não cativa,

sendo ou não

eficaz,

 

avaliação que faço,

atento,

disfarço,

penso...

 

e... aturo,

aturo,

por curiosidade,

em busca da verdade

que não encontro,

não apuro,

 

 

requinte na oratória,

tibieza no palavreado,

fraco enredo de quem produz,

teatralizando,

 

passando tempo,

enganando,

 

arrevesamento,

longa estória,

contratempo,

 

com fome,

pergunta do q´está ao lado,

bocejo,

sobre bocejo,

aborrecimento,

entediado,

mal colocado,

local inapropriado,

 

 

quase com sono,

dormitando,

esboço

do que se deveria projectar,

bem geral,

serviço ímpar,

ludibriado,

 

não custa nada,

expressão de rosto

que s´altera,

quando se desespera,

grande desgosto,

imperceptível,

não audível,

 

visita inapropriada,

dado momento,

pessoa educada,

mão que disfarça,

não escapa a olhar atento,

ensejo,

bocejo,

entendimento,

 

 

discurso no parlamento,

repetitivo, sempre o mesmo,

triste sina,

pouca sorte,

espectáculo em sala de gala,

vendo ópera, drama, comédia,

evitando trama, qualquer rinha,

bem forte,

quando tragédia,

 

fado da desgraçadinha,

subindo degraus d´escadinha,

comodamente instalado,

num recanto do bairro,

caso raro,

caso raro,

 

mediante convite,

benesse,

cadeira rude,

adequada,

acepipe ou jantarada,

mesa farta, apetitosa,

perco logo

o interesse,

 

 

instalado comodamente,

em brocado,

cetim deslumbrante,

luxo por tanto canto,

invectiva degradante,

gritaria infernal,

ponho a cara de lado,

acaba-se o encanto,

 

está em mim,

não contenho,

como acto natural,

mesmo na sala d´estar,

 

vendo televisão,

palrador que não acaba,

carrego no botão,

desligo,

em silêncio me fico,

baixo o som,

mudo o tom,

fazendo zapping,

coloco ponto,

aponho o fim,

 

 

mãozinha tão displicente,

disfarçando,

negligente,

num gesto mui educado,

abro a boca, bocejo,

 

coisas que não vejo,

touradas e futebóis,

não gosto,

não aposto,

nem com cervejinha fresca,

petisco ou caracóis,

respeitando,

não me passa pela cabeça,

sequer...

sem mal,

desinteressado,

não bocejo,

no local,

no ensejo... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 10:52
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2017

... reprimenda!!!...

desde que me conheço,

tenra idade, com meus pais,

mais tarde, com minha mulher,

tenho um jeito mui peculiar,

gosto bastante de viajar,

 

viver a vida... como dádiva,

maravilha que m´alenta,

abrir os olhos, admirar,

usufruir, de mansinho,

o que me tenta,

 

reconhecer o que me foi ofertado,

doutros companheiros da viagem,

criatividade, obras suas,

habilidades,

gregários que se foram formando,

grandes aglomerados de casas,

“benditas” urbanidades,

 

 

independentemente

de fronteiras,

barbaridades que são barreiras,

linguagem diferente,

religiões,

etnias,

cor da pele,

raça a que pertencem,

quanto me dão, me oferecem,

 

por vezes,

dificultam,

quase complicam,

depois s´esquecem,

tempo apaga, sua voragem,

 

aconselho e...

tenho pena,

menos valias, pela idade,

presente realidade...

 

 

bem presente,

hotel modesto na Hungria,

pouco movimento na rua,

pouca gente,

situado numa rua simpática,

muitas esplanadas,

negócios distintos,

cadeiras viradas,

mesas vazias,

ainda faltavam sete dias,

 

restauração

e outros,

bem no centro da urbe,

pertinho da estação,

minarete de mesquita

que s´avista,

da janela do nosso quarto,

prometedor,

bem claro,

 

 

fervilhante de vida,

na hora da compra,

ofertas várias,

fartura,

pratos típicos,

ferros e vidros,

cheiro a goulash,

café,

 

depenicando gostosura,

doce ou salgado,

com borras no fundo,

algum acepipe,

à moda do TURCO,

sem apetite,

antigo mercado,

curiosidade,

maravilha,

agora recuperado,

 

 

numa margem do Danúbio,

Peste ou Buda,

não me recordo,

quando acordo,

início doutro projecto,

parque das Estátuas,

indo a pé, usufruindo,

devagar,

devagarinho,

como gostamos,

quando interpelamos

residentes,

amáveis,

sorridentes,

 

passámos uma das pontes,

em recuperação,

obras em repouso,

águas mansas do rio,

sorrio,

 

eis que s´aproxima

gesticulante,

quase agressivo,

vigilante,

 

 

tipo forte,

segurança,

era domingo,

dia de descanso,

ouço,

não gosto,

voz potente,

língua estranha,

cara feia,

apontando,

dizendo que não,

qual a causa,

qual a razão,

logo se desfeia,

dia tão belo,

tanto desvelo,

 

como sempre,

máquina fotográfica na mão,

tira daqui,

tira dali,

batendo chapa,

nada m´escapa,

proibição,

 

 

caiu-me em cima,

fez mossa,

minha nossa,

logo, logo,

em terra estranha,

monologo

que se fez ouvir,

vozeirão

que me fez reprimir,

acto que pratico,

com afeição,

máquina fotográfica

na mão,

 

imprevisto

que não me coibiu,

saímos da ponte,

em reconstrução,

tema esquecido,

como se viu,

 

 

sentámos junto a um quiosque,

pelo sim, pelo não,

eis que me surge a intenção,

perguntei,

com gestos

mais imagem que tinha,

qual o caminho,

situação,

 

parque

das estátuas gigantes,

a uma senhora simpática,

vendedora de jornais,

de revistas,

 

barreira complicada,

linguagem diferente,

tão cerrada,

ultrapassável,

como verifiquei,

 

número do autocarro,

compra de bilhete,

última saída,

quando paro,

fomos vendo,

reparei,

 

 

novo meio de transporte,

mais sabedor,

minha sorte,

nova compra,

nova ida,

imagem na mão, gesticulando,

gente estranha,

tão humilde,

 

acenavam

com a cabeça,

como quem entende

gestos,

sons que produzo,

logo, logo,

paragem em campo inóspito,

dedos apontados,

sorrisos,

 

dúvida,

algum receio,

dados uns passos,

ali ao pé,

objectivo conseguido,

 

visita feita,

satisfação plena,

interrogação,

 

 

e... agora

me perguntava cara metade,

desvalorizando,

apontei o outro lado da estrada,

alguma espera,

autocarro que

se materializa,

mão levantada,

 

entrámos,

bilhete comprado,

desfizemos

o que tínhamos feito,

dia completo, mau começo,

reprimenda na ponte,

início do dia

desponte... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 05:51
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2017

... heróis e... cavaleiros!!!...

... mais lento,

mais desperto, mais saudoso,

quando lembro,

cavaleiros de pés descalços,

tenras idades,

tão nuzinhos, da cintura para baixo,

sem cueiros,

tão sem casa, quantos irmãos,

verdadeiros,

 

 

frio intenso,

“vela” acesa, tão verdosa,

quando os penso,

num sobe, desce constante,

sorridentes, brincalhões,

arrecadados,

ruína antiga, entorno formoso,

grossas muralhas,

pedras seculares,

algumas fendas, fundos socalcos,

quantas tralhas,

 

bicharada dispersa,

cães, gatos,

gargalhadas, ladridos, cantares,

galinhas, galos,

corredores labirínticos,

tectos caídos,

desassombro

num escombro,

 

 

tempos recuados,

curiosidade, espanto

numa colina,

algum desencanto,

 

imagética

como lema,

só,

fui subindo,

sorrisos abertos,

encontro, quando páro,

incrédulo, satisfação,

interrupção forçada,

lúdica função,

 

 

conduzido,

quanta explicação,

orientação por caminho,

naquela ruína,

abrigo,

tão abandonada,

maquino,

 

quando a necessidade apertava,

diversão parava,

grupo d´heróis, cavaleiros,

desfalcado,

um, dois ou mais,

buscavam certos paradeiros,

a céu aberto,

pipilar de tantos pardais,

chão atapetado de verde,

tufo de malvas, ali à mão,

na falta delas,

pedra... era solução,

rabiosque na perfeição,

 

 

e... continuava a função,

desvendando sendas, segredos,

sem armadura, sem elmo,

combatendo seus medos,

arrostando intempéries,

imaginárias feras, intrépidos,

fortalecendo suas defesas,

dias abafados, outros gélidos,

com sorrisos, com chalaças,

pequenas arruaças,

estrépidos,

 

barulheira, correrias várias,

dentro, fora da ruína,

pedras seculares,

sorrisos, gargalhares,

sem disfunção, sem rinha,

como eram,

libertos de qualquer amarra,

muito amor dos pais,

 

 

heróis,

progenitores de tal prole,

quantas lutas, quantos sóis,

interventores activos,

arrostando barreiras

quase intransponíveis,

quantas canseiras,

amantíssimos,

quando vivos,

esforços incríveis,

naquela luta tamanha,

pelos seus cavaleiros,

plena sobrevivência,

quanta penúria,

quanta carência,

tanto empenho,

tanta sanha,

meu escrito, desempenho,

registo que mantenho,

 

quando a vejo,

qual mártir descomunal,

na prenhês seguida,

origem de tanta vida,

amamentando mais pequeno,

recém-nascido,

bem no centro do seu castelo,

desgrenhada,

atenta aos mais crescidos,

mãozitas doutros

na sua saia comprida,

junto a um poço,

preocupada,

dando alma, tão sofrida,

 

 

nobre cortesão,

paciência, tarefas várias,

exercendo ocupação,

fazendo pouco, fazendo muito,

sobrevivência, alimentação,

contrasenso,

portas e travessas,

orientando caminho tenebroso

d´imberbes cavaleiros,

prodigalizando criação,

tão distantes, tão primeiros,

mão cheia de coração,

compreensão,

 

tempo passa,

desenvolvimento,

quantas lutas,

quantos sóis,

quando os vejo, bem os lembro

duras penas, labutas,

adolescentes, outros ares,

tão unidos, como sempre,

direitos, defesas bastas,

sem batidas,

nem vergastas,

 

 

quanto respeito,

quanto amor

pela vida,

noutros encontros,

situação melhor,

sem ruína,

tarefas, responsabilidades,

outras verdades,

 

quadro, meu conhecido,

como tantos outros,

nesta miséria que foi PAÍS,

tão reduzido, choldra d´uns,

palácios d´alguns,

continua sendo,

entre feros abutres, monstros,

egoísmos,

ganâncias desmedidas,

quantos pobres enobrecidos,

valores que foram vidas,

esforços, paroxismos,

gentes fortalecidas,

exemplos,

não esquecidos!!!... Sherpas!!!...

 

 

 

publicado por sherpas às 12:40
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 11 de Dezembro de 2016

... se possível fosse!!!...

... se possível fosse,

com uma esponja, apagar o passado,

esquecer,

deitar fora tudo que nos trouxe,

acontecimento recente,

longínquo,

má memória, carnificina,

hecatombe dantesca,

determinada gente,

cruel, insensível,

não profícua,

reles, detestável,

exígua,

 

... se possível fosse

tornar criatura maior

que, por defeitos e causas,

fracos valores que viveu

conseguiu ser

tão pequenina,

nódoa permanente,

da humanidade, simples nesga,

horror,

 

 

.... se possível fosse

ocultar em verdade imensa

tanto ódio, perversidade,

tanta gente, tanta maldade,

tanto destino incerto,

tanto longe,

como bem perto,

 

... se possível fosse

fazer PARAÍSO deslumbrante

em cavernoso deserto,

premiar,

oferecer um favor,

dar segunda oportunidade,

como quem ilumina, quem fada,

a um sem préstimo,

a um sem nada,

 

 

... se possível fosse

fazer sorrir o horror,

ocultar o que foi tão feio,

quadro melancólico de permeio,

invernia,

grande temor,

um constante pavor,

madrugada longa e fria,

 

... se possível fosse,

começar de novo,

experimentação orquestrada,

alquimia,

junção, o que nos trouxe,

portal,

dimensão distinta,

alienígena,

UNIVERSO tão vasto,

intelecto superior,

tecnologia mais avançada,

congeminação retinta,

disfarçar qualquer pista,

 

 

... se possível fosse

cantar louvores,

maravilha,

narrar feitos de vulto,

engendrar amor perfeito,

estória d´encantar,

PARAÍSO ofertado

num recanto,

numa ilha,

 

... se possível fosse

alterar estória contada,

fazer SANTA, imaculada,

imagem vendida,

apregoada,

render homenagem devida

qual escritura SAGRADA,

fruto, árvore apelativa,

repetição, ciclo da vida,

maçã que s´interpõe,

castigo INFINITO,

inferno que se prolonga,

males que se sucedem,

acontecem,

acontecem,

 

 

... se possível fosse,

na CIÊNCIA que tudo explica,

no BANG que continua,

nos biliões que se somam,

na curta existência,

no grãozito que somos,

nos saberes que nos apoucam,

junção improvável,

evolução das espécies,

adaptação ao meio,

habilidades que surgem,

mero recreio,

explicações

que tanto rugem,

 

... se possível fosse

calar bocas descomunais,

ribombares,

grandes trovões,

destruições premeditadas,

morte de tantos pais

reverter acontecidos,

recuperar entes queridos,

atordoando pelos ares,

esfacelando matéria existente,

pobres seres, tanta gente,

calcando pobres e débeis,

convencendo simples e crédulos,

incríveis, quase inéditos,

quando convencem,

entontecem,

 

 

se possível fosse,

transformar o proceder,

arvorar um sorriso,

abraçar este MUNDO,

com o qual me confundo,

ganhar muito juízo,

considerar o infeliz,

não dizer o que se diz,

 

... se possível fosse

desfazer a barbaridade,

espalhar a amizade,

limar tantas arestas,

sem rodeios, com festas,

guardar maleita grave,

aproximar todos os seres,

sem remorso,

qualqer entrave,

 

 

se possível fosse,

racional, bem formado,

encarar o que nos trouxe,

irmão com seu irmão,

braço dado,

mão na mão,

sem excessos, reprovação,

sem absurdos, enormidades,

hipocrisias, falsidades,

respeitando

outras verdades,

 

se possível fosse,

consciente do que somos,

esquecer aquilo que fomos,

desfazer todo um passado,

que nos envergonha,

triste fado,

crimes horrendos,

desumanidade,

qual ferrete, qual peçonha,

inverter,

antes

de fazer sofrer,

 

 

se possível fosse,

arvorar,

como bandeira,

em qualqer espaço,

sem fronteira,

objectivo risonho,

PAZ, harmonia,

entendimento,

MUNDO belo,

muita alegria,

excluindo o sofrimento,

 

se possível fosse

quando penso,

quando me ponho,

meio dormido, quase sonho,

como vitória, outra verdade,

não ilusória,

modernidade,

se possível fosse,

se possível fosse... Sherpas!!!...

 

publicado por sherpas às 07:36
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 6 de Outubro de 2016

... TATE!!!...

... ali, sentado numa banqueta alta,

ombros descaídos,

encostado a espécie

de manjedoura corrida,

copo vazio, água na garrafa,

olhos postos no rio TAMISA,

barcos em série,

cheios de ávidos turistas, de contentores,

mais pequenos, formatos diferentes,

movimento bastante por baixo das pontes,

águas escuras, céu carregado de nuvens,

elegante, pedonal, velha conhecida,

do milénio, partindo do Tate,

museu muito meu, pleno de vida,

mesmo em frente da catedral de S. Paulo,

do outro lado,

a um passo, curto passeio,

visita, encanto, meu recreio,

repensando o dia, já a meio,

com companheira ao lado,

meu encosto, parceiro encantado,

gostos idênticos, caminhantes de sempre,

anos passados, um repente,

DSC01916

 

 

pequeno almoço no hotel, continental,

tal e qual, tão frugal,

fugindo ao breakfast inglês,

pesado, encarniçado,

ovos, salsichas, pedaços de porco,

feijões, fritos crocantes, chás ou cafés,

repetindo, consoante apetite,

buffet,

preparação, começando o caminho,

metropolitano ali ao pé,

usança do passe tirado na véspera,

por três dias, creio,

carruagens cheias de gentes diversas,

cores e credos,

consultando pequeno mapa da linha,

várias paragens, objectivo preciso,

Torre de Londres, um pouco mais,

edifício mais alto da cidade,

SHARD LONDON BRIDGE,

vontade tamanha, curiosidade,

nunca antes viste...

DSC01914

 

 

na proximidade, vista espactacular,

sobre o dito, sobre a ponte, sobre a torre,

esplanada simpática, sentámos,

pedimos algo, uma cerveja e uma água,

empregado solícito, poliglota, vivências,

buraquito no estômago, comia-se alguma coisa,

pedimos a ementa, refeições rápidas, petiscos,

conselho apropriado, graças e ditos, solvências,

riso alargado, espera, encontro,

uma emigrante portuguesa que s´aproxima,

rapariga nova, simpatia,

fome de contacto, que bonito trato,

conversa, recordações, partilha,

e... o tempo passa,

ali, sentados,

mesmo defronte, sobre o TAMISA,

eis senão... quando chega a “TAPA”

que nos maravilha, camarões grelhados,

bem arranjados,

regalo dos olhos, sabor portentoso,

conversa gostosa com nossa patrícia,

um “não acabar” de saudade,

portugueses fresquinhos,

acabados de chegar,

aconchegados, usufruindo espaço, presença,

quando se pensa...

DSC01924

 

 

beijos e abraços,

prometemos voltar,

continuámos trajecto,

sorriso e afecto,

ingredientes de pasmar,

cidade cosmopolita, variada nas gentes,

deste, doutros continentes,

ingleses também,

como nos sabe bem...

DSC01965

 

 

deambulando, como gostamos,

lá fomos

aproximámos da ponte do MILLÉNNIUM,

elegantérrima, pedonal,

éramos, no meio de tantos, mais um

turista ávido, sedento, unidos num,

grupinho restrito, como casal,

passámos por uma banda

do Salvation Army,

parámos, ouvimos, apreciámos,

contactámos,

fomos convidados a entrar,

conduzidos por uma diligente e amável

oficial,

sem preconceito, mui diligente,

percorremos salas, salões,

ao som da banda, postada no exterior,

trocámos algumas palavras com a CHEFIA,

ouvimos atentamente,

uma finura, um primor,

despedimos e... continuámos,

satisfeitos, rumo ao MUSEU,

minha mulher e eu...

DSC01952

 

 

lá estava, como sempre,

saudade que mantemos,

bem diferente entorno,

início dum sonho,

concretizado, com êxito,

espaço de criatividade, imaginação,

variados temas, evolução,

várias exposições,

fotografias, composições,

ser humano que se transpõe,

s´ultrapassa,

não pára, surpreende,

modifica, inventa,

quanto nos tenta,

agradável, braços abertos pr´ó MUNDO,

toca-nos bem, conhecimento profundo,

vista soberba sobre o TAMISA,

restauração que nos satisfaz,

bar panorâmico, paragem, descanso,

introversão,

minha ilusão,

doce recanto, agradável remanso

que não dispenso,

quando por ali m´encontro,

sinto-me bem,

quanto conforto...

DSC01970

 

 

a VIDA, como ela é,

sem vedetismo exacerbado,

ARTE, em qualquer COISA,

em qualquer parte,

maneira diferente de ver,

no simples facto d´existirmos,

de fazer,

DSC01951

 

 

como a penso,

não descurando outras,

tão nobres,

tão dignas como as que nos mostra,

nos espanta,

nos enobrece,

não esquece,

DSC01955

 

 

soco na face,

repentino,

chamamento,

na altura, no momento,

no TATE, nas salas,

nas obras expostas,

modernas, vanguardistas,

quase esquisitas,

ali, sem menorização,

equilíbrio que se pretende,

rasto do ser,

rasto do homem que cria,

quanta fúria, quanta alegria,

quanta harmonia...

DSC01976

 

bom pedaço do dia,

minha doce fantasia,

MUSEU que muito me diz,

não se contradiz,

existe, faz parte,

pura vivência como arte...

DSC01963

 

 

carrossel de cores que se juntam,

de formas que as embelezam,

recordatório dum MUNDO passado,

duma realidade que se mostra,

dum absurdo que nos motiva,

composições que nos fazem pensar,

ajuntamento do trivial,

que é presente,

dum futuro que é tanta gente,

esperança ridente,

tesouro mil,

encantos que nos tocam,

quando expostos, quando se focam,

pormenores que se combinam,

agregam, nos animam,

salas que são sonhos,

fotosque se desnovelam,

pretos e brancos soberbos,

fauces que nos inebriam,

quanta imaginação, quanta arte,

quanta criatividade, qualquer parte,

quanto devaneio, previsão,

uma chama, um desejo,

pura emoção,

enquanto percorro, aprecio, vejo!!!... Sherpas!!!...

publicado por sherpas às 07:37
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. ... sabores!!!...

. ... experimentação!!!...

. ... PIRATAS!!!...

. ... descalçar... as BOTAS...

. ... pérolas!!!...

. ... bocejo!!!...

. ... reprimenda!!!...

. ... heróis e... cavaleiro...

. ... se possível fosse!!!....

. ... TATE!!!...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.favoritos

. ... antes que... a vida, ...

.links

.as minhas fotos

.participar

. participe neste blog

blogs SAPO

.subscrever feeds